Simulação na ilha do Sal

14/10/2014 01:40 - Modificado em 14/10/2014 01:40

CRISTINA_FONTESPerante uma simulação de teste de um caso de ébola na ilha do Sal, a Ministra da Saúde, Cristina Fontes Lima avaliou positivamente o evento e disse que Cabo Verde pode afirmar que está bem equipado e preparado.

 

Na avaliação feita pela Ministra da Saúde, Cristina Fontes Lima, a mesma afirma ter ficado satisfeita com o cenário montado, apesar de ser pouco provável: “é um cenário pouco provável porque, segundo as informações que nós temos, é raro haver um doente a bordo. O nosso maior foco será pesquisar as manifestações dessa doença uma vez em terra, porque dificilmente um doente com ébola pode subir uma escada de avião. Para a Ministra da Saúde foi importante estar nesse cenário: “tivemos a oportunidade de apreciar a rapidez da resposta. Acho que é extremamente árdua”.

Cristina Fontes diz que Cabo Verde tem estado a fazer o seu trabalho. Desde o mês de Março que as medidas começaram a ser tomadas e, em Agosto, foram efectivadas. A Ministra da Saúde adianta que há necessidade dos planos serem testados, “não podemos apenas ter os planos no papel. Já fizemos na Praia e em São Vicente a nível de mesa e, de facto, tenho estado a acompanhar e estamos atentos às questões e globalmente em termos de equipamentos de protecção”.

De acordo com a RCV, Cabo Verde pode afirmar que está bem equipado em matéria de preparação, como afirma Cristina Lima, lembrando que o país já tem uma linha verde para casos de ébola e que é preciso trabalhar na prevenção.

É de realçar que a simulação do teste começou com a Polícia Nacional a estabelecer um perímetro de segurança à volta de um autocarro onde entre outros passageiros estava um com o vírus do ébola. Com a chegada da protecção civil, o doente foi separado dos restantes passageiros e foi transportado para o hospital. A ambulância aguardava pelo doente com uma equipa composta por um médico, um enfermeiro e dois auxiliares de saúde, seguindo todos os protocolos que a situação impõe. O doente foi isolado num lugar preparado para a ocasião.

  1. Cidadão preocupado

    Nenhum país está “preparado” para esta epidemia. Cabo Verde tem de investir na formação dos seus profissionais de saúde. Deve-se inclusive em cogitar uma formação no exterior (Estados Unidos, nos hospitais de referência como o de Atlanta, ou Alemanha). E investir na prevenção impedindo a entrada de pessoas dos países afectados. Campanhas massivas de informação nas comunidades, escolas, instituições. A linha verde do ebola só funciona a partir de um telefone fixo. Colocar móvel também.

  2. RAC

    quien sera el medico (NOME) q atendera los pacientes de EBOLA ,por cada isla ??,Si pq para todo hay un NOMINADO !!
    Sera un problema cuando llegue el momento si ainda nao esta la lista de los seleccionados , en Africa los NACIONALES se han NEGADO y salvo unos pocos junto con unos contados extranjero son los presenciados,entao en CV sera diferente ?? Ya o Gov ,preparo el SEGURO DE VIDA para estas personas en la linea de frente ?? Hummmmm .

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.