Roubam táxi e fazem fretes com o motorista no porta-bagagens

1/10/2014 00:07 - Modificado em 30/09/2014 23:52

taxiNa madrugada de domingo, 28 de Setembro, por volta das duas horas, mais um taxista foi assaltado por três homens encapuçados na localidade de Monte Sossego, ilha de São Vicente. Os assaltantes bateram no taxista e deram-lhe grogue porque ele não tinha cartão 24. Chegaram a fazer um frete para S. Pedro com o motorista no porta-bagagens

 

António Alberto é mais um taxista assaltado e colocado no porta-bagagem do carro. Desta vez, o taxista apanhou os assaltantes na Laginha, diante do Bar Holanda e seguiram para a zona de Monte Sossego: “disseram-me para deixá-los na rua do Sr. Severino. Quando lá chegámos disseram que era numa subida. Quando parei, o homem que estava atrás de mim pegou-me no pescoço e encostou-me uma pistola”. António Alberto de 44 anos, diz que não fez nada. “Um saiu do carro e abriu o porta-bagagem e arremessaram-me lá para dentro”. Os meliantes conseguiram levar o rádio do carro, quatro mil escudos em dinheiro, as roupas, os sapatos e rasgaram uma roda do Táxi.

Os meliantes estão a utilizar o mesmo sistema dos assaltos anteriores mas, desta feita, como o taxista não tinha cartão 24, levou uma surra. “Bateram-me muito; pediam o cartão vinti4; dizia-lhes que não tinha e voltavam a bater-me e obrigavam-me a beber grogue”.

O taxista foi levado para o Madeiral e Quilometro 6, onde lhe  foi pedido o cartão vinti4. “Paravam o carro no escuro e obrigavam-me a beber à força e agrediam-me”.

António conta ao NN que enquanto estava no porta-bagagem lembra que os meliantes foram fazer um frete em São Pedro. “Chegámos a São Pedro, as pessoas desceram e o assaltante pediu mil escudos”. Quando chegaram perto do Aeroporto pediram-me o cartão 24 e não lhes dei. “Encheram um copo de grogue e deram-me para beber e bateram-me de novo”.

O taxista afirma que esteve muito tempo no porta-bagagem e que deram muitas voltas, mas depois pararam num lugar escuro. “Não havia nem uma casa, nem nada”. Na zona de Ribeira de Julião abriram o porta-bagagem, tiraram-me as sapatilhas e as calças e disseram-me que “se fizesse algum gesto voltavam e davam-me um tiro na cabeça”. António deixou-os ir e depois pediu ajuda ao guarda nas imediações da ‘Casa para Todos’ para chamar a Polícia.

  1. Mindelense

    já está na hora de os taxistas terem direito a licença de porte de arma, mas até lá ficarão refém dos meliantes, mas não há problema porque o pessoal dos direitos humanos irão ressarcir as perdas referentes aos assaltos, roubos, furtos e violações.

  2. Mindelense

    Lamantável, mas é a pura realidade. Enquanto os nossos governantes, deputados, magistrados e amigos, estão no conforto dos seus gabinetes e na segurança dos seus lares, o povo vive um dia, de cada dia, dependendo da má vontade do meliantes. A polícia tem feito tudo o que pode, mas a polícia não é justiça…é um mero agente de autoridade, e logo, sem poder para punir, de forma exemplar, esses terroristas. Só nos resta pedir a Deus que nos proteja, pois, o Estado já nos abandonou à nossa sorte.

  3. MS

    Aconteceu mesmo em Cabo Verde? Num país classificado em 2º lugar, com 78,2 pontos, no que respeita à Segurança e Primado da Lei?

  4. Leitor

    Muito triste. Força António, Deus lhe abençoe!

  5. mandingas

    maior parte di taxistas tud bandidos tambe. es é da kes maiores receptores de artigos robód. por exemplo, txá bo móvel ou bo cartera esqcid num taxi , bo ta oiá ses ta devolveb el. devolvê ê txusssss. mas nka ti ta ta generalizá e nem nka ta feliz pa ess situação dess senhor.

  6. Sãovicentino

    estes senhores ja estão presos

  7. driver

    texto complicado e pouco elucidadtivo, se o taxista apanha esses tais clientes/meliantes na laginha logo deve reconhece-los porque ninguém vai fazer frete a um grupo de encapuzados. E como é que foi possivel o mesmo grupo usar o taxi para fazer um frete a sao pedro , pq no meu entender quando se freta um taxi é suposto estar só o condutor e nao um grupo.

  8. Djê Guebara

    Quem dizia que a minha ilhinha chegaria a essos actos tão preocupantes e que justiça não faz ninguma movida para identificar os delincuentes. Jà è hora que todos os Taxistas toma seus pròpios percauções para defender de estes mafiosos,terroristas e delincuentes.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.