Casa para Todos sem crédito bancário: Quando a esmola é demais o santo desconfia

30/09/2014 07:23 - Modificado em 30/09/2014 07:23

casa o tdosComo solução para a venda das habitações “Casa para Todos” o Governo resolveu dispensar o crédito bancário, mas os seleccionados ouvidos pelo NN desconfiam da medida .È como diz o povo : quando a esmola é demais o santo desconfia

 

Para facilitar o acesso à “Casa para Todos”, o Governo anunciou que as famílias seleccionadas para as classes B e C não precisarão de recorrer ao crédito bancário para comprar as habitações.

As famílias seleccionadas para ocuparem as habitações das classes B e C do projecto “Casa para Todos” têm dificuldades na aquisição das habitações devido às dificuldades no acesso ao crédito. O antigo modelo que vigorava era o de compra e venda por Escritura Pública com recurso a crédito e dificultava os seleccionados. Actualmente, os seleccionados passarão a pagar mensalmente as prestações directamente ao IFH, no prazo máximo de 25 anos.

Este online saiu à rua para ouvir a reacção dos seleccionados que se mostraram incrédulos relativamente ao novo modelo de compra e venda e consideraram que a retirada do crédito bancário não irá resolver o problema da venda das habitações.

Jaqueline Lopes diz que com a dispensa do crédito bancário, a compra das habitações “Casa para Todos” parece ficar menos complicada, mas acredita que as novas burocracias que vão ser criadas pelo Governo poderão dificultar ainda mais o processo de compra e venda. “Fomos enganados e quem sabe se não estaremos a ser enganados de novo. Há muitos outros problemas a serem resolvidos e que levam os seleccionados a desistirem da compra”.

Muito indignada, Gilda Costa diz que o “projecto ‘Casa para Todos’ é bom mas não foi gerido com responsabilidade e não foram ponderadas as consequências. Costa acredita que a suspensão do crédito bancário pode vir a ajudar na compra das habitações, mas resta saber se o valor fixado oferece possibilidades de as comprarem. Resta saber o que acontecerá a uma família se não conseguir efectuar o pagamento dentro do prazo: ser-lhe-á retirada a habitação ou será despejada?

A mesma questiona se agora as habitações passarão a valer o preço justo e real. Esta é uma questão que terá de ser respondida pelo Governo.

Lara Coronel diz que está inscrita no projecto “Casa para Todos” e que gostaria imenso de conseguir um habitação, mas as condições financeiras não lhe permitem morar numa casa condigna. “O salário dos cabo-verdianos é insuficiente para adquirir casa própria, entretanto, as habitações do “Casa para Todos” não ajudam nenhum jovem a conseguir casa própria porque o antigo modelo de acesso ao crédito não beneficiava ninguém.

Com a retirada do acesso ao crédito, as pessoas não acreditam que se venha a resolver o problema. Com a crise, há muitas pessoas que nem sequer conseguem comer, quanto mais pagar um aluguer dessas casas.

 

 

  1. julio

    pois é , uma casa de 3 mil contos com juros fica para 9 mil contoslogo não ha diferença entre com juros e sem juros, santa ignorancia. tanto do jornalista com das pessoasa

  2. Carlos Silva - Ralão

    Eu acho que o comportamento atual do cabo-verdiano poderia dar uma tese de mestrado e doutoramento, nunca estão de acordo com nada, nada está certo, ou sempre fazem melhor que o outro!!! Antes reclamaram que as pessoas tinham de ir ao banco, agora o IFH analisou as reclamações e voltaram atrás, e as casas podem ser negociadas diretamente com o IFH sem intermediação dos ladrões dos bancos, as pessoas continuam reclamando e desconfiando!!! Como agradar um povo deste tipo?

  3. Celeste Vieira

    Gostaria de ser informado se os moradores, aqueles que alugam ou que compraram, estao
    abrangidos pela lei do condominio e em caso afirmativo quais as consequencias do nao cumprimento do pagamento de eventuais cotas.

  4. Di Praia

    Para Júlio .
    Não esquecer que por trás de “Casa para todos” está um empréstimo de 22 milhões de contos , que esta e a geração vindoura terá que pagar , e com juros ( ainda que uma parte é bonificada)

  5. Atento de Tarrafal

    É exactamente, Senhor Carlos Silva, nunca concordam com nada, acredito ainda se forem oferecidos, sem pagarem nada, acredita que vão reclamar, um mau hábito de reclamar por tudo e por nada, CRIOULO É COMPLICADO, já tinha um velho Coronel Angolano

  6. Lavidia Coronel

    Sim, estão a falar das famílias que poderão vir a receber as casas c/ preço mais barato, e as famílias que já receberam as casas através do Banco com muita dificuldade? com jurus elevados, renda elevada, esperando por um Governo que diz que vai haver um tal de Juros Bonificado, inclusive a Sra. Filomena Martins chegou a falar sobre isso no programa da TCV “Ponto Nos Is”. As casas são todas iguais, porque uns vão pagar mais do que outros? Que Governo é esse que nos engana descaradamente?

  7. Mateus

    maltas 2016 aproxima… e é lógico que estas medidas servem para angariar votos.
    O PAICV está desgastado, estabeleceu um caos no governo, e querem fazer de tudo para ganhar votos, pois perceberam que a maioria”l~e-se o povo” está descontente com as promessas não cumpridas..o povo não vê o IUR de 2009 faz 6 anos, o governo nao paga retroactivos..funcionarios publicos nao ve o reajuste do salario… professores descontentes,etc

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.