Professores em regime de acumulação do Mindelo recebem parte do salário em atraso

25/09/2014 07:44 - Modificado em 25/09/2014 07:44

pagar dinheiroOs professores em regime de acumulação do IUE do Mindelo, já receberam uma parte do salário em atraso. Com a alteração dos planos de formação, surgiram novas necessidades que o corpo docente residente não consegue dar resposta, por isso, foi lançado um concurso para contratar professores para trabalharem em regime de acumulação.

 

O Director da Escola de Formação de Professores do Mindelo – Instituto Universitário de Educação, Albertino Martins, garante que boa parte dos salários do primeiro semestre já foram pagos e estão a trabalhar para pagar todos os salários do segundo semestre.

De acordo com Albertino Martins, o atraso no pagamento dos salários deve-se ao facto do processo ser um pouco moroso: “passa pela selecção de candidatos, os processos têm de ser enviados ao Tribunal de Contas, entre várias outras etapas”. Recentemente surgiu uma nova acção, em que o Primeiro-Ministro tinha que dar o aval positivo para que estes professores em acumulação de serviço fossem contratados e, por isso, o processo arrastou-se por mais tempo.

O IUE tem o seu corpo docente constituído há muitos anos mas agora, com a alteração dos planos de formação, surgiram novas necessidades que o corpo docente residente não consegue dar resposta, por isso, há algum tempo o IUE tem estabelecido contratos com pessoas em regime de acumulação ou em regime de prestação de serviços. “As pessoas que têm estado a trabalhar com o IUE têm formação científica e pedagógica reconhecida e avançada”.

O director da Escola de Formação de Professores do Mindelo diz que no ano passado contrataram a maior parte de professores por causa de cursos que têm em Santo Antão, onde funcionam nove turmas de complemento de licenciatura, “quatro turmas no Porto Novo, três na Ribeira Grande e duas no Paul”.

Independentemente dessa situação constrangedora que levou três professores a congelarem as notas de alguns alunos, apesar de já terem começado a facultar as notas, os docentes voltaram a concorrer para leccionar de novo no IUE. “Os mesmos professores voltaram a concorrer e mostraram a intenção de trabalhar connosco, o que quer dizer que as pessoas confiam na instituição”. É de realçar que os concursos são válidos por um período de um ano para o primeiro e o segundo semestres.

 

 

  1. JOÃO FORTES

    EXISTEM MUITOS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS QUE SÃO OBRIGADOS PELAS CHEFIAS A FAZER ACUMULAÇÃO DE FUNÇÕES E NÃO SÃO PAGOS. VAMOS TODOS RECLAMAR O NOSSO DINHEIRO. SE O ESTADO NÃO PAGAR VAMOS COBRAR DAS CHEFIAS QUE NOS ESCREVISAVAM. A AGENCIA MARÍTIMA É UM DELES. FUNCIONÁRIOS QUE SBSTITUEM OS CHEFES DURANTE ANOS E NÃO RECEBEM COMO CHEFES. SN.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.