Professores ESJB: uns apoiam, outros criticam e outros ficam em silêncio

17/09/2014 07:19 - Modificado em 17/09/2014 07:19

liceu jorge barbosaO NN contactou alguns professores da ESJB, para ter um parecer sobre a demissão em bloco da direcção  e do bloqueio psicológico do aluno. A maioria não quis falar sobre o assunto alegando que é uma situação que não podem comentar. Maria Auxilia apoia a decisão da Direcção da ESJB e Enilson Almeida acredita ser uma falta de respeito.

 

Maria Auxilia, professora de História e Cultura Cabo-verdiana na ESJB, adianta ao NN que quanto à demissão em bloco da direcção da ESJB presta solidariedade total, “para mim, a direcção não poderia tomar outra decisão a não ser, demitir-se”. Para a professora de História e Cultura Cabo-verdiana, o director da ESJB António Delgado é um director dinâmico, responsável e que sempre defendeu toda a comunidade educativa: “aqui defende o interesse do aluno em primeiro lugar”. Segundo Maria Auxilia, a decisão da demissão em bloco foi uma decisão justa, “é inadmissível a 15 minutos do fim de um teste, um aluno alegar bloqueio e pedir a outra versão do teste”.

Quanto à decisão da Ministra da Educação Fernanda Marques, a professora Maria Auxilia diz que ainda não teve a oportunidade de ouvir as suas explicações.

Para o professor de EVT, Ednilson Almeida a questão do bloqueio é normal, mas este caso é estranho, “a 15 minutos do fim do teste o aluno alegar bloqueio e pedir a outra versão”.

Quanto à mudança da direcção, Ednilson Almeida diz que acredita ser uma falta de respeito, porque a mudança acontece de forma frontal: “há dois ou três anos que o director quer sair. Não acho bem a forma como está a sair”. Mas, mesmo assim, diz que o director António Delgado empenha-se e faz de tudo para que a ESJB seja uma boa escola. Ednilson Almeida critica também o facto das escolas darem muita importância às notas do teste, quando “a avaliação deveria ser global e referir-se a todo o ano lectivo”.

Maria Auxilia e Ednilson Almeida afirmam que se um caso desse tipo acontecesse com eles, comunicariam ao professor, se não fosse um teste da sua disciplina e também ao coordenador da disciplina, pois “se o aluno não se preparou para o teste tem que se responsabilizar”. Segundo Maria Auxilia, a escola tem também a responsabilidade de formar pessoas com valores e responsáveis.

Tentámos contactar outros professores, mas recusaram-se a falar sobre o assunto.

 

  1. Mateus

    O povo de S. Vicente devia ir a rua..pois não se deve favorecer um aluno do 12º ano, pois ele teve 19 valores no 2º teste nao se sabe como.. e fica em vantagem parta concorrer a uma bolsa de estudos. Isso de o aluno alegar bloqueio…é corrupção

  2. Mindelense

    Meus caros do Noticias do Norte. Penso que o trabalho da informação já foi feita, e diga-se de passagem, com profissionalismo. Mas agora precisam avançar para uma nova etapa, o do jornalismo de investigação. Para que esta notícia fique completa, urge investigar e informar ao povo cabo-verdiano, quem é o aluno em questão, quem são os seus pais, e quem foi o psicólogo escolhido, para que possamos entender esta novela.

  3. Nelson Cardoso

    e o técnico de saúde que analisou o aluno? ninguem o questiona?

  4. davi

    então quer dizer que o aluno “bloqueado” teve 19 valores?? heheh, queria eu nos tempos do liceu ter esse bloqueio! Mas em cabo verde e com esse tipo de gente no poder é simples, bloqueio no teste?! Liga aos amigos do ministério e com um 19 fica tudo resolvido. Noticias Do Norte, por favor cheguem ao fim dessa historia. DENUNCIA neles, aos pais, ao aluno, e ao responsável pelo 19! QUE o povo fique sabendo qual a cara da corrupção.

  5. Silvia Ramos

    Que os directores das escolas secundarias, quem sabe primarias e universitárias, nao querem nem quererão pronunciar sobre a decisão da Ministra é mais que compreensível e tal comportamento verifica-se a todos os níveis, inclusive privados com medo de serem segregados ou boicotados e o pior ainda para o caso dos professores, serem exonerados.
    Meio pequeno, sem perspectivas, ambiente propicio para a criação e desenvolvimento de uma mentalidade tacanha. Nada de novo e compreensível. É apenas o drama dos meios pequenos que alias tambem tem outras vantagens como seja conseguir um lugar sem o devido mérito.
    Alem disso a maioria do pessoal ligada ao Ensino, talvez nao de coração aberto, está ao lado do regime como pude constatar quando das eleições legislativas e presidenciais.
    Perguntarei ao jornalista, mesmo anonimamente, quantas pessoas, com medo de serem detectadas pelos tentáculos da policia secreta, atrevem a comentar neste Jornal tal decisão?
    Vale a pena ser Ministro em Cabo Verde.

  6. Creio que a Ministra deu mostras de fraqueza e desconhecimento total das regras de funcionamento nas escolas secundárias, portanto a primeira pessoa a demitir-se devia ser a senhora Ministra. Mostrou ser fraca, mole e em ultima instancia corrupta.

  7. Edmilson Gomes

    O aluno em causa teve bolsa de estudos do governo de cv e esta na Alemanha. Perguntem a Ministra quem sao os pais do jovem? Ah PAICV no seu melhor, vergonha mesmo. JMN e um aldrabao quando disse que e tudo normal.

  8. igorcv

    bandalheira da ministra, mas também da forma que é feita a noticia em cv, pq é preciso saber quem é o aluno , quem são os encarregados de educação, quem avaliou clinicamente o aluno??? como a ministra ficou a saber de um teste de rotina na escola, ???muitas perguntas no ar… precisamos de jornalismo investigativo…

  9. jose pinto

    Quando eu era aluno, houve muitos erros do ME na reforma do ensino. os alunos é que ficaram prejudicados. Fizemos a prova de acesso ao ensino superior. Eu fiz de matemática, e maior nota foi de 4 valores. os professore não conseguiam cumprir o programa e nos testes vinham matérias que nuca estudamos.
    agora é fácil, quando os alunos bloqueiam testes e pedido testes que conseguem ter 19 valores.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.