A remodelação governamental dos mindelenses: Mário Lúcio e Cristina Duarte os mais nomeados

15/09/2014 00:03 - Modificado em 15/09/2014 00:04

JMNevesO Primeiro-ministro José Maria Neves tem vindo a anunciar grandes mudanças no elenco governamental. Sem adiantar muito sobre as mudanças, já afirmou que ainda não poderia precisar “nem a dimensão nem a profundidade das mudanças” que irá fazer, mas houve a promessa do anúncio para breve.

 

Mudanças que são vistas com bons olhos para alterar o rumo das coisas e como uma lufada de ar fresco para fazer com que tudo possa funcionar melhor. Esta é a opinião de alguns entrevistados no Mindelo sobre a remodelação governamental anunciada, mas ainda por consumar.

Das entrevistas realizadas, os entrevistados não conseguiram vislumbrar especificamente onde mudar e, por isso, a solução proposta por Djoi Santos “é remodelar tudo”. Para Andreia Neves, é preciso muita atenção na hora de remodelar para que as coisas possam continuar a funcionar, mas não consegue nomear alguém específico para mudar e admite que algo precisa de ser feito com urgência para que Cabo Verde e a ilha de São Vicente se possam desenvolver.

Nelson, morador em Monte Sossego, diz que fica difícil dizer já que não se conhece o trabalho de alguns ministros. E, por isso, para pedir para mudar seria bom que se conhecesse melhor e, por isso, a sua opção seria a Ministra das Finanças “juntamente com o Primeiro-ministro”. E na mesma linha de pensamento, Odair, também de Monte Sossego, acredita que a aposta na mudança da Ministra das Finanças seria boa opção, isto devido “à situação do país”.

O Ministro da Cultura Mário Lúcio recolhe alguns adeptos para a sua mudança. “Sendo um homem da cultura sinto que poderia ter feito mais pela cultura e ajudar mais os artistas e pelo que tenho ouvido de muitas pessoas da cultura, não ajudou muito”, refere Adilson Nascimento.

Das respostas recolhidas, apesar da indecisão, os Ministros das Finanças e da Cultura foram os nomeados. Agora, é só esperar pela decisão do Primeiro-ministro. Mas há quem diga que como já não falta muito para as eleições, não acredita que os próximos terão muito tempo para trabalhar em caso de mudança de Governo.

  1. Elísio Semedo

    Mudança é sempre necessária mas nesse artigo jornalístico não se vislumbra nenhuma base de sustentação objectiva e fundamentada. Nada de concreto. Trata-se de um artigo muito pobre considerando a sua intenção de base. Espero que o povo de S. Vicente no seu todo não tenha a mesma forma de criticar dessa forma abstracta. O título do artigo pode ser muito traiçoeiro: aí dos sanvicentinos com esse tipo de visão! Jamais seria assim. Portanto, é muito arriscado com essa forma de extrapolar.

  2. carlos andrade

    Mudança generalizado ,não digo,mas uma grande mudança sim, porque pela primeira vez na nossa história vamos ter uma senhora na primatura do país. A digníssima Dra Janira Hoffer Almadd ,ganhara ás eleições internas dentro do seu Partido,e em 2016 vai impor ao fraquíssimo líder do MPD,Ulisses Correia,uma derrota histórica nos confrontes leitorais MPD versus PAICV.

  3. MJS

    Oh Carlos gostaria de saber o porque de estar sempre a achincalhar o Dr José Maria Neves. Tenha cuidado com o coração do teu pai Senhor Miguel da Enapor porque ele é um verdadeiro simpatizante do PAICV !!!!! Agora, para sincero queria dizer-te que em 2016 o teu partido o MpD vai ficar novamente na oposição. Tenha juízo e tenta pelo menos respeitar o 1º Ministro do nosso País , na medida em que vi no teu Facebook só maldizer do DR JOSÉ MARIA NEVES.

  4. Mudar para melhor. Mas onde está melhor?

  5. Agostinho Fonseca

    O PM sabe que ninguém quer o Ministério da Cultura. Ê um antro de incompétentes que aparecem para sacar o eràrio pùblica e tocar viola.
    Os Ministros do Interior e da Justiça são dois azelhas e muito perigosos.

  6. Mateus

    Aguardamos a mudança da ministra de Educação….. essa de certeza que muitos mindelenses estarao de acordo…

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.