Páscoa: entre a religiosidade e o descanso

6/04/2012 12:22 - Modificado em 6/04/2012 12:22
| Comentários fechados em Páscoa: entre a religiosidade e o descanso

Apesar dos mindelenses estarem divididos entre uma celebração religiosa e um fim-de-semana mais longo, a Páscoa mantém sempre a sua religiosidade com crentes das diferentes fés, cada um a sua maneira, celebrando o seu significado: Jesus Cristo sacrificou –se , morreu e ressuscitou para o benefício de toda a humanidade.

A Páscoa é uma festa da fé cristã comemorada há séculos. Teve origem, ainda, no tempo de Moisés quando libertou os filhos de Israel do Egipto. Foi um sinal do que Deus fez pelos seus filhos. Mas, a festa é celebrada pela morte e ressurreição de Cristo. A época torna-se num tempo de reflexão da importância do que Jesus Cristo fez pela humanidade. Igrejas Cristãs usam o tempo para focalizar em Cristo. Amostras de filmes e culto, exemplo da Igreja Nazarena, ou mesmo grande celebração pelos Testemunhas de Jeová, ou já a habitual procissão pela igreja Católica são exemplos de actividades realizadas pelas várias igrejas da ilha.

Mas para muitos sanvicentinos a Páscoa divide-se entre um tempo de reflexão e um fim-de-semana maior. Mas, por menos atenção que lhe seja dada a conotação religiosa não é perdida. A ideia que muitos têm é de que não é um tempo para “não fazer barulho” porque Jesus Cristo morreu. O silêncio é uma referência importante para esses dias da Páscoa.

A máxima nestes dias é a reflexão. Para Admilson Fortes é uma época que significa muita coisa porque “traz alegria”. No sentindo religioso, esta alegria é partilhada devido a morte de Jesus. Jacira Neves, também, partilha desse sentimento que “que se deve comemorar a Páscoa lembrando a sua razão”, ou seja, Jesus Cristo.

Mas se muitos aproveitam esses dias para revigorar sua fé e buscar uma proximidade com a deidade, outros a usam para descansar e aproveitar um fim-de-semana mais longo. Maria da Luz encontra na Páscoa uma época normal. Apesar de saber o seu significado não entra em muitas celebrações. César Santos diz que apesar de todo o significado a máxima então é descansar “quando tem tempo” para tal.

Apesar dos mindelenses estarem divididos entre uma celebração religiosa e um fim-de-semana mais longo, a Páscoa mantém sempre a sua religiosidade com crentes das diferentes fés, cada um a sua maneira, celebrando o seu significado : Jesus Cristo sacrificou –se , morreu e ressuscitou para o benefício de toda a humanidade.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.