O papel do “Empowerment” social (…)

2/09/2014 00:32 - Modificado em 2/09/2014 09:31

deluca monteiroO PAPEL DO “EMPOWERMENT” SOCIAL COMO FORMA DE CAPACITAÇÃO PARA UMA CIDADANIA ACTIVA EM CABO VERDE.

 

 

A cidadania activa é característica de uma sociedade dinâmica e, neste sentido, os governos devem tomar medidas concretas para facilitar o acesso à informação e à participação, promover a tomada de consciência sobre as questões, reforçar a participação cívica e as capacidades dos cidadãos e apoiar a intervenção das organizações da sociedade civil.

 

Aprofundar a cidadania activa deve ser um dos desafios das sociedades contemporâneas. “Os cidadãos da actual sociedade não pretendem resumir a sua participação ao acto eleitoral, mas desejam contribuir no dia-a-dia para a resolução dos problemas que os afectam, desenvolvendo uma cidadania activa” (Corte-Real, 2003b).

Numa sociedade como a Cabo-verdiana, é preciso pensar como envolver o bairro, a cidade, o espaço do quotidiano, da convivência em acções que permitam trazer uma maior dinâmica socioeconómica aos mesmos. É necessário pensar nas formas de intervenção para a busca e resolução dos problemas locais, como forma de exercício da cidadania plena.

O que é Cidadania?

A cidadania tem vindo a ser discutida ao longo de toda a trajectória histórica da humanidade e, ainda hoje, não existe um consenso formado sobre o seu significado.

Geralmente, o conceito é associado às formas de cidadania legal que está relacionada à pertença a uma nação ou a à condição de um bom patriota. Para isso, é relevante o trabalho com jovens porque na prática oferece um espaço a ser construído e redefinido junto das novas gerações, permitindo que o conceito seja sempre actualizado e renovado, de acordo com as mudanças de cada época ou realidade, assim como das próprias pessoas que vivenciam este processo de transformação.

Cidadania Activa

Cidadania Activa é um conceito que partindo de princípios individuais e colectivos, envolve a participação efectiva dos indivíduos na vida política, na sociedade civil organizada e na comunidade. Esta abordagem pode ser caracterizada pela/o:

  • Não-violência,
  • Respeito mútuo e pluralidade social,
  • Princípios da democracia e,
  • Direitos humanos universais.

Já o “Empowerment” social surge como elemento facilitador e mediador para uma real cidadania activa. Construir a mediação é construir formas de intervir dos cidadãos de maneira eficaz na perspectiva da transformação e/ou superação dos problemas que surgem numa sociedade.

Construir outras saídas para a superação da exclusão, miséria e desigualdade social passa pelo empoderamento das pessoas e das comunidades, aumentando assim a sua capacidade de interlocução com as instituições públicas e privadas visando a captação de recursos e de investimentos de diversa ordem.

O que é Empoderamento social:

Empoderamento, ou Empowerment, significa a acção colectiva desenvolvida pelos indivíduos quando participam em espaços privilegiados de decisões e de consciência social.

O empoderamento social possibilita a aquisição da emancipação individual e também da consciência colectiva necessária para a superação da dependência social. O empoderamento devolve a dignidade a quem desejar o estatuto de cidadania com responsabilidade e respeito do outro.

O empoderamento, por sua vez, também pressupõe a educação e capacitação técnica para o desenvolvimento, a constituição de novas bases de informação, com a produção e socialização de indicadores locais e/ou regionais de desenvolvimento, que incorporem índices de qualidade de vida e de desenvolvimento humano. Precisa também da aplicação de estratégias eficientes de comunicação e marketing social que possibilite um fluxo permanente de informações, o despertar para as possibilidades e vantagens de um processo de desenvolvimento mais solidário e ético.

Para isso, deve-se ter em conta a actuação do que se convencionou chamar de activistas sociais. Estes, como conhecedores da realidade e defensores de uma sociedade justa e igualitária devem, neste contexto, intervir de forma a apoiar as autoridades locais e nacionais no percurso dos novos desafios que se avizinham. Movimentando as “massas” para que estas se sintam parte integrante do desenvolvimento local e nacional.
Deluca Monteiro

  1. Celeste Vieira

    Perguntarei se existe nas massas uma simples ideia do que seja a cidadania. Para a maioria a cidadania reside nos festivais e “Soncente é sáb pa cagá”.
    Vamos tirar uma simples prova. Nunca tivemos tantos estudantes quer nas escolas primarias, secundarias e universitárias. Nunca tivemos tantos meios de comunicação. Nunca tivemos tanta informação.
    Perguntarei tambem quantas pessoas reagirão perante este tema? Talvez 3 ou 4 e será ate demais.
    Cidadania é apenas ” perolas para porcos”.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.