Precisa integrar-se em redes internacionais para alavancar o sistema educativo

1/09/2014 08:17 - Modificado em 1/09/2014 08:17
| Comentários fechados em Precisa integrar-se em redes internacionais para alavancar o sistema educativo

António Correia SilvaO Ministro do Ensino Superior Ciência e Inovação, António Correia e Silva acredita que para o sistema educativo poder desempenhar o papel alavancador do processo de desenvolvimento, “precisa integrar-se em redes internacionais capazes de trazerem ganhos de qualidade necessários e requeridos pela sociedade”.

 

Cabo Verde entrou como membro observador-colaborador da Organização dos Estados Membro na Conferência Ibero-americana. Na qualidade de membro-colaborador, Cabo Verde pode, desde já, começar a beneficiar de programas de mobilidade de estudantes e docentes.

Cabo Verde foi representado neste fórum pelo Ministro do Ensino Superior Ciência e Inovação, António Correia e Silva, que adianta que Cabo Verde, enquanto país, “priorizou e continua a priorizar”, e que a educação apresentou indicadores que testemunham expressivamente a evolução positiva dessa mesma política: “Ensino Básico com taxas de cobertura na ordem dos 96%, Ensino Secundário em torno dos 56% e Ensino Superior 21%”. Contudo, realçou no Fórum que “para que o sistema educativo possa desempenhar o papel alavancador do processo de desenvolvimento, precisa integrar-se em redes internacionais capazes de trazerem ganhos de qualidade necessários e requeridos pela sociedade”.

Por isso, desafiou o Secretariado da Organização a dar a Cabo Verde a oportunidade de trabalhar com a OEI nos domínios da formação de professores, na utilização das TIC como meio de racionalizar e inovar o processo pedagógico, na mobilidade de docentes e investigadores, no fortalecimento do sistema de avaliação de qualidade no ensino superior e na promoção da ciência.

Para o Ministro do Ensino Superior Ciência e Inovação,esta cooperação é um acto de solidariedade, um gesto de justiça para com a História e uma oportunidade para os países africanos, uma vez que “a África contribuiu, mesmo nas condições de escravatura, para a criação de grande parte das sociedades ibero-americanas, partilhando com elas raízes e património”.

António Correia e Silva aproveitou a oportunidade para manifestar a sua admiração pela excelência do trabalho desenvolvido por este fórum de Ministros, “espelhada no relatório apresentado na sessão pelo Secretário-Geral cessante”.

A reunião do México decorreu sob o lema “Ibero América no século XXI – Educação, Inovação e Cultura” e a XXIV reunião teve lugar na Cidade do México nos dias 27 e 28 de Agosto. Além de Cabo Verde, mais dois países africanos de expressão portuguesa, nomeadamente S. Tomé e Príncipe e Angola, entram no espaço de cooperação em matéria educativa.

A OEA é uma organização que agrupa no seu seio países da Península Ibérica (Portugal e Espanha) e os países da América Central e do Sul. Teve lugar no dia 27 de Agosto na Cidade do México a XII Reunião de Ministros da Educação, Ciência e Cultura da OEA, marcada pela admissão entusiástica de países africanos de língua portuguesa, nomeadamente Angola, Cabo Verde e S. Tomé e Príncipe como membros observadores e colaboradores.

 

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.