Conselho do MED: Ministra pede exigência e eficiência dos responsáveis

26/08/2014 04:05 - Modificado em 26/08/2014 04:05

fernanda_marques_ministra_desporto_caboverde_800A cidade do Mindelo acolhe pela primeira vez, de 25 a 30 de Agosto, o Conselho alargado do Ministério da Educação e Desporto (MED), de onde deverão sair orientações para o próximo ano lectivo que tem o seu início marcado para o dia 15 de Setembro. Os representantes do Ministério da Educação dos 22 municípios estão presentes assim como os directores das Escolas Secundárias, sob a presidência da Ministra Fernanda Marques.

 

Na sessão de abertura, a Ministra reconheceu no acto que o ponto fraco do Ministério tem sido a comunicação nos seus diferentes níveis, o respeito pela hierarquia e o cumprimento das ordens superiores. Para exemplificar o caso, diz que “não é aceitável” que a Ministra dê direcções e directivas bem expressas a todos os directores dos pólos através dos seus delegados a respeito de medidas que visam o acelerar do cumprimento dos objectivos do milénio para 2015: a educação básica. “E somente onze, dos vinte e dois, reagiram no prazo estabelecido”. Algo que quer ver melhorado.

Para a Ministra, é necessário que os dirigentes sejam mais exigentes e eficientes na gestão dos recursos humanos, financeiros e estruturas físicas tendo em mente a missão do MED. E, por isso, alerta que na educação não se pode “navegar ao sabor dos ventos circunstanciais e dos estilos de cada responsável”. “Temos que poder navegar no mar alto muitas vezes turbulento com os necessários instrumentos de orientação e de planificação como metas objectivos claramente assumidos e partilhados no cumprimento da nossa missão”, sintetizou a Ministra.

E conclui, afirmando que a gestão do MED deve ser feita de forma micro, isto é, “a cada delegação, cada sala de aula e a nível da relação de cada aluno com o professor”. Isto, para capitalizar todo o conhecimento e implementação dos novos conteúdos e rentabilizar os novos instrumentos didácticos e pedagógicos.

 

  1. Cristalina Ramos

    Nao vai ser fácil uma mudança de mentalidade, atitude e comportamento. A maioria dos dirigentes tinham e têm ainda a mentalidade de comissários políticos e bastante alheios ao sistema de ensino.
    A doença tornou-se crónica e alastrou-se a todos os níveis com todas as suas consequencias, resultado de falta de visao e politica a curto prazo. É o preco que temos de pagar e bastante alto.

  2. Évora

    O Ponto fraco é a comunicação entre estruturas. Sim senhora Ministra, a senhora falha por completo na comunicação com os dirigentes do seu ministério. Mas foi bastante eficaz na comunicação, sem falar na despudorada falta de ética, para transferir o Jorge Martins do Ministério da Justiça, sem consentimento formal do Ministro, para a Escola Técnica do Porto Novo. Seria desejável que melhorasse a sua comunicação com o Senhor Primeiro Ministro, tornando-a mais eficaz. Peça demissão Senhora Ministra!

  3. antonio dos santos

    Como assim Fernanda, fazer encontros com professores com salários em atrazo? Manera, cosa assim cá ta dá! êss palm é importante tres veje por dia, Oh non?

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.