Governo fecha portas aos países afectados

20/08/2014 01:08 - Modificado em 20/08/2014 01:08

ebolaO Primeiro-ministro, José Maria Neves, presidiu uma reunião para avaliar a situação da Ébola e tomar medidas para impedir a epidemia de entrar em Cabo Verde. Tendo em conta uma maior necessidade de controlo, foi decidido manter as decisões e o plano de contingência já em execução e “reforçar a campanha de sensibilização a nível nacional para prevenir e impedir que a ébola entra em Cabo Verde”, como sublinha Neves.

 

Das medidas saídas da reunião, o governo decidiu “interditar por um período de três meses os estrangeiros provenientes de países afectados”. E ainda decidiu “suspender a ida de delegações oficiais a todos os países afectados e aconselha os nacionais e residentes em Cabo Verde a não se deslocar aos países afectados”. Estas são as principais medidas que o governo acrescenta ao combate a Ébola.

“Finda os três meses reavaliaremos a situação e introduziremos  medidas correctivas em função da epidemia a nível da região”, como complementa o primeiro-ministro. E ainda assegura um reforço da vigilância.

“Damos todas as garantias à todos que estamos a fazer o nosso melhor e todo o serviço de saúde e todas as autoridades responsáveis estão a fazer o melhor para que possamos prevenir esta doença e que Cabo Verde fique de fora desta epidemia”, como assegura José Maria Neves.

Fez parte da reunião além do primeiro-ministro a ministra da saúde e outros responsáveis ligados a área.

  1. idellopes

    so agora ?? ou era precise oya na ot e faze tambem??

  2. Tukinhatucabarrosgom

    Mas nunca é tarde, o importante é tomar medidas necessárias.
    força CABO VERDE.

  3. medico em espanha

    Ao final sempre os medicos ja estao preparados para avançar contra esta doença tao maligna…. Sra Ministra de Saude….quando vai aumentar o salário aos medicos deste pais?? A senhora nao pensa na responsabilidade que eles tem?? Cada ano, mais medicos vao saindo do País em busca de melhores condiçoes quando podiam estar dando o seu contributo ao nosso povo, Refiro que todos os medicos que estao fora gostariam de estar em Cabo Verde…mas como é possivel que com mais de 12 anos de estudos universitários um especialista (mais do que muitos membros do governo de cabo verde) venha ganhar aproximadamente 70 contos e pagar o custo dos estudos ao Banco???
    Porque muitos medicos vao trabalhar no privado? Porque o dinheiro que ganham nao é suficiente. Os medicos deviam terminar no Hospital e ir as suas casas descansar para mais tarde estar estudando e atualizando-se….o que nao passa….porque? Porque o salario é muito curto para tanta resposabilidade que acarrea tratar vidas humanas.
    Quantos medicos existem em Cabo Verde? Nao acredito que seria um esforçe tao grande a naçao subir-lhes o salario… somente com diminuir umas viagens desnecessarias do nossos ministros,presidente e comitiva ao estrangeiro (exemplo: Seichelles) e se conseguiria esse aumento.
    A Ordem,o Sindicato e pessoas da Classe Medica é outra que mais por motivos politicos nao querem fazer valer os seus direitos e nao vao a greve.
    Nao peço que paguem um medico como a Europa mas por favor….70 contos na mao para um especialista??

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.