Comerciantes consideram muito fraco o negócio

18/08/2014 08:19 - Modificado em 18/08/2014 08:39

barracasAs pessoas que abriram as barracas no Festival da Baía das Gatas dizem que o negócio foi muito fraco em relação aos anos anteriores.

 

A trigésima edição do Festival da Baía das Gatas não correu lá muito bem para os comerciantes que levaram até à Baía das Gatas as próprias barracas com diversos produtos para serem vendidos.

Didá da barraca com o mesmo nome, adianta que todos os anos desloca-se à Baía das Gatas para abrir a sua barraca, mas que este ano o negócio foi muito fraco. Didá acredita que a crise mundial foi o motivo das vendas terem sido muito fracas. Muitas pessoas preferem levar de casa as próprias refeições e bebidas para que tudo seja mais em conta e, dado o momento que estamos a atravessar, é aceitável que se faça o possível para que tudo saia mais barato.

A responsável da barraca Sab Sebim de Monte Sossego acredita que mesmo com muitos emigrantes na terra não houve forte aderência, por isso, considera muito fraca a venda durante os três dias do Festival. A mesma acrescenta ainda que o dinheiro arrecadado só lhe serviu para cobrir as despesas com o aluguer do espaço para a barraca.

O negócio também não correu muito bem para Emanuel que faz um pequeno balanço considerando que no primeiro dia do Festival como é de se esperar não há muita presença das pessoas na Baía das Gatas, enquanto que no segundo dia, a fluência é muito maior do que nos outros dias. Emanuel considera que no segundo dia o negócio esteve melhor, conseguiu dar vazão a uma boa parte dos produtos mas, nem por isso, a venda correu muito bem. Emanuel diz que já é uma tradição de longos anos ir ao Festival com a sua barraca e, enquanto tiver saúde, estará sempre presente.

Francisca diz que a causa do negócio estar fraco é devido ao grande número de barracas que houve durante os três dias do Festival. Se formos ver, este ano a Câmara disponibilizou um maior número de barracas que nos impediu de vender bem.

 

  1. Ze

    E que tal aumentarem os niveis de higiene na confeccao dos produtos, na “genica” a atender os clientes e tentarem dinamizar a barraca com algo mais do que perna d frong assod e qel cok ? quando a concorrencia é muita temos q fazer um bocadinho mais para sobressair…criol eh smp n descontra

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.