Atendimento público: Nossa, nossa, assim você me mata!

20/07/2012 00:18 - Modificado em 20/07/2012 02:40

Os mindelenses consideram que o atendimento ao público na ilha requer uma maior atenção das autoridades que inspeccionam os sectores socioeconómicos. De acordo com alguns cidadãos há uma desordem na prestação de serviços por parte de entidades públicas-privadas, bancárias, restauração. Neste sentido, as pessoas dizem estar agastadas com as políticas de atendimento, por isso as autoridades precisam rever esta balbúrdia no atendimento ao público.

 

A qualidade do serviço de atendimento ao público na ilha de São Vicente exige transformações a pensar nos utentes. O cenário é confirmado por cidadãos que perderam a paciência com a maneira como são tratados em algumas instituições. Para alguns sãovicentinos há uma necessidade de rever a situação, porque a suas queixas não estão a chegar as mãos das autoridades reguladoras.

Os problemas existentes no atendimento se manifestam por intermédio de diferentes indicadores. Em São Vicente, todos os dias as pessoas sofrem com a forma com as empresas prestam os seus serviços. O tempo perdido nas filas à espera do atendimento, a postura dos chefes, ou funcionários e o modo como funcionam algumas instituições fazem os sãovicentinos comer o pão que o diabo amassou.

 

Balbúrdia

Reginaldo Pereira disse ao NN que “ontem fui a uma agência bancária levantar uma quantia em dinheiro e tive que esperar duas horas na fila. Mas uma vez a situação era grave, porque havia apenas um caixa em funcionamento. Todo o restante pessoal de serviço foi embora e a gerência permitiu que ficasse apenas um empregado a atender cerca de 80 pessoas. Quem acata as consequências são utentes que ficam muitas horas de pé devido a falta de condições no espaço para albergar as pessoas”

Reginaldo assegura que esta situação persiste há vários meses sendo que já emitiu uma reclamação a gerência, mas foi informado que os funcionários têm direito a um período de refeições. Já Gisele Lima critica a postura de algumas entidades públicas abrem as portas em determinado horário, mas o atendimento ao público surge horas depois.

Segundo Gisele “as autoridades precisam dar atenção a forma como funcionam algumas instituições do Estado em São Vicente. Que abrem as portas às 8 horas, mas o atendimento ao público leva mais de uma hora para surgir. Quando o desespero faz as pessoas entoar as reclamações exigem silêncio, porque o usuário está a prejudicar o funcionamento dessas instituições”.

 

Atenção

Apuramos que nos serviços de restauração existe esta realidade que faz os sãovicentinos alterarem os seus espaços de consumo. Segundo o que apuramos as situações mais graves são o modo como alguns bares, restaurantes ou hotéis apresentam a factura aos clientes e o comportamento dos funcionários que prejudica a estada do utente.

Melanie Brito afirma que “constatei que alguns espaços que entregam a conta em pedaços de guardanapos. Sendo uma acção que infringe os códigos de conduta para prestação de serviço público. Porém é urgente que os gerentes invistam na formação académica e disciplinar dos seus empregados. Porque pensam somente no lucro, enquanto os clientes sofrem com os dissabores dos funcionários que não sabem expressar em língua estrangeira, ou que trazem os problemas pessoais para dentro do serviço”.

  1. Cidadão Mindelense.

    Tratar assuntos de papeladas em Cabo Verde, numeadamente em S. vicente è uma autentica dor de cabeça e tornar-se ipertenso obrigatóriamente porque os funcionarios não fazem caso, atendimento para quê explicar. Vai-se aqui em instituições para tratar de assuntos, ninguem sabe de nada nimguem sabe informar, cada 1 quer saber do seu ordenado e mais nada. vão todos pro diabo.Todo o pedaço de papel por 1 simples que seja custa 1 balurde de dinheiro, 1 simples carinbinho de 1 palhaço quaquer custa.

  2. Avelino

    Era bom que se começasse a classificar essas entidades de acordo com a qualidade dos serviços prestados e que esta classificação fosse exposta à entrada dos respectivos estabelecimentos. Talvez assim começariam a rever os modos como tratam seus clientes.

  3. jjjj

    So pode ser BCA Alto sentina. Verdadeiro atrozo de vida. Ja e hora de mandar O Jorge e outros velhos para reforma. da chance a juventude

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.