7,8 % dos alunos reprovaram por excesso de faltas

4/08/2014 07:59 - Modificado em 4/08/2014 07:59

COOKIE2O director do Liceu Ludgero Lima apresentou o balanço do ano lectivo 2013/14. Considera “extremamente positivas” as actividades curriculares e extra curriculares, mas o mesmo tempo mostra-se preocupado com número de alunos reprovados por excesso de faltas.

 

Segundo os dados do balanço do LLL, 112 alunos perderam o ano por excesso de aulas perdidas, o que representa 7,8 por cento.

No ano lectivo 2013/14, o Liceu Lugdero Lima contou com um total de 1442 alunos. Destes, 112 alunos perderam o ano por excesso de aulas perdidas, por um total de 7,8%, 32 anularam a matricula (2,2%), 1298 chegaram ao fim do ano mas, desses alunos, 334 reprovaram e 964 transitaram, o que representa 67 por cento de alunos aprovados.

José Cândido, director do Liceu diz que o Liceu tem feito um bom trabalho no combate à diminuição do número de alunos que perdem o ano por faltas, mas “é uma questão transversal que envolve todas as partes, não só a direcção da escola, mas também os pais e encarregados de educação que são os principais parceiros na tarefa de instruir e também de educar. Mas, “infelizmente, o liceu não tem tido o envolvimento que esperava.”

O número de alunos que perde o ano por faltas está, muitas vezes, relacionado com o acompanhamento dos pais. Sabe-se que, muitas vezes, os pais saem para trabalhar e deixam os filhos em casa sem ninguém que os acompanhe, ficando assim por conta própria.

Embora o liceu possua um gabinete de apoio e de orientação dos alunos, os professores tentam sensibilizar os alunos com acumulação excessiva de faltas para minimizarem a situação. “Para o director, quando não há um acompanhamento dos pais, a falta de envolvimento dos pais, traz muitas dificuldades ao liceu”.

Segundo a lei, quando o aluno atinge metade das faltas, este facto deve ser comunicado aos pais e aos encarregados de educação e, em relação a estes procedimentos, o director garante serem seguidos rigorosamente e o mesmo acontece quando o aluno ultrapassa o limite.

“Na maior parte dos casos, os pais e os encarregados de educação avisados nunca aparecem na escola e isso representa para nós um constrangimento porque há um grande esforço por parte da direcção que não é correspondido com um envolvimento dos pais no processo” e apela aos pais encarregados de educação para serem mais pro-activos em relação ao desenvolvimento escolar dos seus educandos.

Para o director José Cândido, o balanço é extremamente positivo tendo em conta que no decorrer do ano lectivo, o liceu conseguiu pôr em prática o plano de actividades traçadas e a maioria dessas actividades previstas foram materializadas com o apoio da direcção, do corpo docente, dos alunos e dos funcionários. Em termos de aproveitamento, “uma das metas traçadas era a de melhorar os indicadores de eficácia e de eficiência interna em 75 por cento e melhorar a taxa de perdas de ano por aulas pedidas”.

José Cândido afirma que, apesar de todos os esforços, a percentagem de aproveitamento “ficou um pouco abaixo da meta traçada”, alcançando assim 67% por cento de alunos aprovados e a taxa de repetência por aulas perdidas manteve-se em 1,8%, igual à do ano lectivo 2012/13.

O mesmo afirma que apesar do liceu não ter conseguido alcançar a meta desejada considera, no entanto, que o trabalho que foi desenvolvido durante o ano lectivo “foi muito bom, houve engajamento e participação de todos no processo e que, apesar disso, os resultados foram positivos”.

  1. Geronimo

    A TCV devia fazer uma publicidade desse assunto, no horário das telenovelas de modo a sensibilizar os pais e encarregados de educação a se “inteirar” da vida dos seus educandos. Fica a dica.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.