Conselho de Segurança da ONU marca reunião de urgência

18/07/2014 08:31 - Modificado em 18/07/2014 08:31

concelho segurança onuO Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas reúne-se de urgência, esta sexta-feira, em Nova Iorque, a partir das 10.00 horas locais (15.00 horas em Portugal continental), a propósito do abate do avião comercial malaio no leste da Ucrânia.

A reunião foi anunciada pelo Ruanda, que está a desempenhar a presidência rotativa do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) e deve ser pública, tenso sido solicitada pelo Reino Unido.

O Boeing 777 da Malaysia Airlines, partido de Amesterdão para Kuala Lumpur, caiu no leste da Ucrânia, numa zona controlada por separatistas pró-russos.

Responsáveis dos EUA disseram à agência noticiosa AFP que o aparelho foi abatido por um míssil terra-ar, mas com a origem ainda por determinar.

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas, Ban Ki-moon, exigiu “um inquérito internacional completo e transparente”.

Durante uma breve declaração na sede da ONU, em Nova Iorque, exprimiu as suas “sinceras condolências às famílias e aos próximos das vítimas, bem como ao povo da Malásia”, acrescentando que “é evidente que é preciso um inquérito completo e transparente”.

O presidente ucraniano Petro Poroshenko considera que a queda do avião das linhas aéreas da Malásia “é um ato terrorista” dos separatistas pró-russos.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, atribuiu à Ucrânia a responsabilidade pela queda do avião malaio que se despenhou no leste daquele ex-Estado soviético.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, telefonou ao presidente ucraniano, Petro Poroshenko, e ao primeiro-ministro malaio, Najib Razak, sobre a crise com a queda do Boeing 777 da Malaysian Airlines.

Obama apelou a um inquérito “rápido” e “sem entraves”. No âmbito de um contacto com o primeiro-ministro holandês, Mark Rutte, o presidente norte-americano transmitiu que Washington estava disponível para fornecer “ajuda imediata para um inquérito internacional rápido, completo, credível e sem entraves”, segundo indicou a Casa Branca em comunicado.
Entre as 298 vítimas mortais, 154 são de nacionalidade holandesa.

jn.pt

  1. baldoque

    Sejam Russos, Pró-Russos, Ucranianos, os responsáveis são uns palhaços que devem ser severamente punidos. Este acto não deve ficar impune, sob pena de se tornar moda. Não se pode tolerar que um IMBECIL dispare contra um avião comercial fazendo tantas vítimas. É IMPERDOÁVEL, INADMISSÍVEL, ULTRAJANTE e outros que não me lembor (Mas que sei serem muitas)

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.