A impossibilidade de contribuir para o sustento dos filhos: “Não posso e pronto!”

18/07/2014 07:54 - Modificado em 18/07/2014 07:54

Pensão-alimentíciaLonge do aconchego  dos gabinetes dos legisladores , do  Conselho de Ministros , do Procurador de menores  e da conversa fiada do Comissão para a Defesa dos direitos , os direitos dos menores a uma pensão alimentícia é uma miragem.

Um direito que muitos não cumprem . E na maioria  dos casos porque não podem . Estão desempregados ,  os empregados  têm salários baixos e maioria tem quatro ou mais filhos . E no meio estão as crianças  duplamente castigadas : pela separação  dos pais  e pela falta da pensão alimentícia  determinada por  lei. A nossa reportagem  falou com muitos homens que  não ajudam na criação e educação dos filhos. Uns porque não têm trabalho fixo, outros porque têm outra família e outros ainda, porque simplesmente não querem dar porque a mãe da criança não quer continuar o relacionamento ou tem outro companheiro. Está é a realidade : dura , mas é  a realidade que as autoridades ignoram escudando-se em leis que ninguém conhece ou não cumpre.

Sandro Martins que trabalha como pintor assume que não sustenta o filho. “Não sustento o meu filho porque não posso”. Ele não tem trabalho fixo mas, “quando estou a trabalhar, mando algum dinheiro para o meu filho”. Ele sabe que por ser uma criança que frequenta o Jardim de Infância precisa de muitas coisas apesar de, às vezes, ter dinheiro e não dar mais, porque “a mãe do meu filho vai comprar para os outros filhos” que tem com outra pessoa e Sandro não aceita “sustentar filhos de outro pai”. Apesar dos familiares da ex-companheira afirmarem que ele não sustenta a criança, o mesmo afirma que “tenho a minha consciência tranquila, porque sempre que posso entrego dinheiro à mãe”.

Desemprego

Carlos Santos que está desempregado não sustenta os filhos. “Antes, quando eu tinha, dava dinheiro para os meus quatro filhos”. Depois, com o desemprego, já não consegue sustentá-los. “Não tenho dinheiro para mim e nem para eles”. Às vezes, Carlos consegue trabalhar enchendo carros de pedras, mas esse dinheiro é para “comprar algumas coisas que preciso para o meu sustento”.

Edson Duarte tem quatro filhos, dois com mães diferentes e mora com a mãe das crianças mais novas. Ele diz que não consegue sustentar as quatro crianças e, por isso, somente os mais pequenos usufruem do seu dinheiro porque “o dinheiro que ganho não chega para todos e para sustentar uma casa com todas as despesas”. Ele acredita que o dinheiro de um servente de obras é pouco “e, além disso, as crianças mais pequenas precisam de um leite ou iogurte e as outras já se desenrascam bem”.

  1. JM

    Nao deve sair mais barato umas camizinhase sem chatice alguma??? Que me desculpem aquelas que não se considerem abrangidas, mas essas mães, muitas vezes com um nível cultural baixo, já fazem filhos como fonte de rendimento, para, depois, sacar algum(eternamente)dos pais. Essas mães que se protegem, até pelo bem delas e deixem de ignorância de fazer filhos.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.