O eterno mealheiro dos pobres

17/07/2014 08:27 - Modificado em 17/07/2014 08:27

porcosMuitas mulheres chefes de família encontraram na criação de porcos uma oportunidade de sustento para os filhos.

 

Na falta de emprego, há sempre que encontrar astúcias para driblar a crise e vencê-la. Nas periferias de São Vicente, encontrámos algumas mulheres que lutam pela sobrevivência dos filhos através da criação de porcos.

Natividade, uma mulher batalhadora diz que conseguiu criar os seus filhos com a criação de porcos. Natividade trabalha como empregada doméstica e antes de sair para trabalhar, limpa o chiqueiro e dá de comer aos porcos. Depois de regressar do trabalho, volta ao chiqueiro para ver como estão os três porcos.

Questionada sobre a razão da sua opção, a mesma diz que o salário é insuficiente para sustentar a família, por isso, encontrou na criação de porcos mais uma alternativa. A mesma conta que a criação de porcos é um trabalho cansativo e demoroso, porque quando se compra um leitão é necessário muito tempo para estar ao ponto de vender, caso não for comprado ainda pequeno.

Nha Canda conseguiu construir a sua casa também com a ajuda do dinheiro da criação de porcos. Para uma mulher na terceira idade, custa cuidar, criar porcos, mas Nha Canda considera que é uma tradição de há muito tempo, por isso, não se sente incomodada com o trabalho. Ela gosta do trabalho e diz: “dá muito trabalho, mas todos os meus porcos são gordos”.

A mesma diz que vende os porcos ainda vivos, mas nalgumas épocas faz o abate dos porcos para comercializar a carne. Questionada sobre o processo de abate, a mesma diz que tem pessoas a quem paga o serviço de abater os porcos dentro do seu próprio quintal.

As razões que levam Nha Canda a fazer o abate no seu próprio quintal é porque não existem matadouros na ilha.

Apesar das reclamações dos vizinhos, Natividade e Nha Canda, criam os seus porcos em chiqueiros nas rochas e consideram não ser um lugar seguro, porque muitos já foram roubados.

  1. Mindelense

    Não existe matadouros na ilha? Então o matadouro municipal na Ribeira de Craquinha que até tem veterinário? Estão a gozar comigo.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.