Dolores Aveiro tentou aborto quando estava grávida de CR7

15/07/2014 11:27 - Modificado em 15/07/2014 11:27

cr7 e mãeMãe de CR7 lançou biografia, onde faz revelações surpreendentes. Este domingo pode ler entrevista exclusiva na “Notícias Magazine”

 

Mãe Coragem. É este o título da biografia de Dolores Aveiro, escrita por Paulo Sousa Costa e que chegou às livrarias na quinta-feira. No livro, a mãe de Cristiano Ronaldo revela que quis abortar quando estava grávida do craque português, mas que o médico não a apoiou na decisão.

Numa das passagens do livro, a mãe de Cristiano Ronaldo revela que quando ficou grávida do atual jogador do Real Madrid chegou a tentar fazer um aborto, pois tinha, à época, 30 anos, e já era mãe de três filhos, Hugo, Elma e Kátia.

“Quis abortar, mas o médico não me apoiou na decisão”, revela, acrescentando que sem ter o apoio do profissional de saúde, optou por uma receita caseira: beber cerveja preta quente e correr até o corpo não aguentar. Mas não resultou e acabou por levar a gravidez adiante e deu à luz Cristiano Ronaldo.

Também a origem do filho do capitão da seleção nacional, Cristianinho, é abordada por Dolores no livro. A madeirense explica como soube que CR7 queria ser pai. “Vou ter um filho e gostava que fosse a mãe a ajudar-me a educá-lo e a dar-lhe amor como fez comigo e com os meus irmãos. A mãe do bebé nunca será conhecida”, anunciou-lhe o avançado do Real Madrid. E foi Dolores a dirigir-se ao outro lado do Atlântico para ir buscar o neto. “

Uma mulher nos EUA amparava no seu corpo o primeiro filho de Ronaldo (…) Até que chegou o dia de a avó Dolores apertar o cinto do voo que a levava até à Florida”, pode ler-se.

A sua infância, a dor do cancro da mama e as dificuldades que passou ao longo da vida são outros dos temas de “Mãe coragem”. Amanhã, pode ler na revista “Notícias Magazine”, que sai com o JN, uma entrevista em que Dolores fala, sem rodeios, sobre a biografia. “Aceitei fazer este livro porque achei que podia passar um exemplo às outras pessoas. E ao Ronaldo disse que sabia muito bem o que ia dizer”, frisa a progenitora de CR7.

jn.pt

  1. jorge

    Neste mundo é assim. O pai é que lhe proporciona enquanto criança as oportunidades para jogar a bola. O pai é que o leva todos os dias para jogar a bola. O Ronaldo só joga a bola diariamente quando era criança porque o papa dele trabalhava num estádio de futebol como quebra galho e faz tudo. Por causa do pai é que ele tem oportunidade de ver e aprender a jogar a bola mas é mãe que dá a cara e é homenageada.

  2. jorge

    O Ronaldo sente vergonha do pai porque ele era um simples faz tudo no campo de futebol da aldeia. Essas mulheres são sempre oportunistas. Assim que lhes cheirar um dinheirinho ou a fama passam logo o pai para trás. Qual a razão dela querer abortar? Era por ter 3 filhos ou era por ter pouco dinheiro em casa. Se o dinheiro que o papa Ronaldo trazia para casa era pouco ela que fosse trabalhar para ganhar mais.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.