Cozinheiras das cantinas escolares não assinam contratos e ME retira reajuste

15/07/2014 00:53 - Modificado em 15/07/2014 00:53

cozinheirasDepois de mais de vinte anos de serviço, as cozinheiras das cantinas escolares receberam do Ministério da Educação contratos de trabalho a prazo de doze meses. Contudo, as mesmas recusaram-se a assiná-los e foi-lhes retirado o pequeno ajuste feito no mês de Maio de 2014.

Embora pouco satisfeitas com o reajuste feito no mês de Maio, as cozinheiras reivindicaram melhores condições salariais, reajustes ao salário mínimo e abrangência ao sistema do INPS.

Durante vários anos, as mesmas receberam o total de 6.011 escudos. No passado mês de Maio tiveram uma surpresa, pois foram contempladas com mais 2.239 escudos, recebendo um total de 8250 escudos. Contudo, no mês seguinte, tiveram outra surpresa.

Foi-lhes retirada a bonificação porque não aceitaram o contrato que lhes foi proposto.
O presente contrato propõe um prazo determinado de doze meses que não beneficia uma funcionária que já trabalhou por mais de vinte anos, sem quaisquer direitos vigentes.

As mesmas reuniram-se com o Sindicato a fim de tratarem dos seus direitos.
Para Eduardo Fortes, presidente do SIMETC , o referido contrato não beneficia as funcionárias que durante vários anos foram lesadas com salários irrisórios e a não abrangência ao sistema de segurança social.

O Sindicato recomendou às cozinheiras de não assinarem o contrato . Esclarece que o ICASE e o Ministério da Educação foram notificados no sentido de entrarem em consenso para a resolução do problema que se arrasta há vários anos.

  1. ZAAC lopes

    6011 escudos durante mais de 20 anos é falta de respeito ao trabalho digno… e o que aconteceu a lei do salario minimo??? so serve para privados? pelo amor de DEUS elas sao nossas mães, nossas avos, a mulher caboverdeana que ja alimentaram todos os filhos caboverdeanos com dedicaçao e boa vontade e mesmo assim nao tem direito de ter uma vida digna?….sejam conscientes por favor

  2. comunicação social

    ordenado minimo = 8h de trabalho diario. alguem de direito deve esclarecer os jornalista a fim de evitar esse lerolero de sempre.

  3. Nunca imaginei que pudesse ver isso isso da boca da FICASE. Senhor Presidente, o senhor é um dos abusados desta terra. Sem eira nem beira em Assomada e quer gozar com essas mulheres. Depois de vinte anos de trabalho com a Educação lhes faz um contrato válido para um ano só e lhes reduz salário. o ZEma fica a fingir que não vê e não ouve. Ele já se esqueceu das papas que comeu de graça feitas por essas mulheres. Continue abusando Felisberto. O seu está guardado e vem a cavalo, malandro sisudo.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.