Defesa: Carlos prevaricou mas com a intenção de ajudar

10/07/2014 01:37 - Modificado em 10/07/2014 01:37

A defesa de Carlos Além, representada a título gracioso pelo advogado João do Marcelino do Rosário, com este fez questão de informar na audiência, admite que o arguido “prevaricou, mas que é um homem bom que fez algo errado para ajudar as pessoas que não podiam adquirir medicamentos para as suas doenças “.

Defendeu que o arguido não teve nenhum proveito patrimonial como o seu acto”. Rosário diz que existe culpa sim, mas uma “ um culpa mitigada”. Por isso pediu ao juiz que caso este decida pela condenação que seja por uma pena suspensa, visto que nem multa, nem indemnização o seu constituinte pode pagar.

Os advogados dos restantes arguidos acolheram com satisfação o facto de o MP ter pedido a absolvição dos seus clientes.

 

  1. atento S.Vicente

    Sr. Carlos Alem tb vais ser absolvido porque ele nao praticou nenhum crime. Ele só ajudou os que mais precisavam a nivel de saude o que o governo nao faz com os menos carenciados.Ele é uym heroi nessa historia linda que é ajudar !! Tenho certeza que os que ele ajudou estão concordando comigo porque se nao fosse ele, muitos já nao pertenciam o mundo dos vivos, porque sem dinheiro, sem seguro para comprar medicamentos …

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.