O MORTEIRO 68 MM CALOU-SE PARA SEMPRE

5/07/2014 11:44 - Modificado em 5/07/2014 11:44

Independencia CVEste texto foi publicado quando da morte do Major Sotero Fortes. Hoje 5 de Julho de 2014 voltamos a publicar o texto para homenagear todos os combatentes da ilha de Santo Antão que nas matas da Guiné “ pega tuga ku mon”: uma expressão usada pelos nossos guerrilheiros em combate e que mostrava a coragem em campo de batalha. E Sotero era daqueles que “tava pegá Tuga ku mon”

O artilheiro, enfim, descansa das batalhas travadas e das feridas que as batalhas deixaram na carne e na alma. O 68 mm calou-se. Para sempre. O artilheiro da liberdade rendeu-se a única batalha que nunca vencemos: a morte

O Major Soterro Fortes, combatente da liberdade da Pátria. Morreu ontem na cidade do Mindelo, com 74 anos de idade. Havia algum tempo que estava doente.
Sotero pertenceu ao chamado Grupo de Cuba e depois de voltar da preparação militar na ilha foi para a União Soviética. Com a anulação do projecto militar do desembarque em Cabo Verde recebe ordens para ir para as matas da Guiné. Como a maioria dos elementos do grupo de Cuba, Sotero vai combater como artilheiro operando um morteiro de 68 mm. No campo da batalha distinguiu-se pela sua coragem. No ataque a Pinche, frente leste, perde os dedos a operar o seu morteiro de devido ao calor que colocou na batalha. Em Cabuca Sotero, que combatia com Jaime Mota e outros companheiros, caiu numa emboscada montada pela tropa colonial, Jaime não consegui escapar, mas Soterro escapa para continuar a combater. Também participou no ataque a Medina Boe “ terá disparado os últimos tiros antes dos portugueses serem forçados a abandonar o quartel. Era admirado pelos companheiros pela “ sua abnegação a luta e confiança que transmitia durante as batalhas “. Silvino da Luz que comandou Sotero em várias batalhas na Frente Leste lamenta a perda do companheiro “ era um homem leal e de uma entrega total “. Sotero Fortes, que era natural da Ribeira da Torre, ilha de Santo Antão, é enterrado, hoje a tarde, na cidade do Mindelo, com um funeral de Estado. O artilheiro, enfim, descansa das batalhas travadas. O 68 mm calou-se. O artilheiro da liberdade rendeu-se a única batalha que nunca vencemos: a morte

Eduino Santos

  1. Djê Guebara

    Descança em paz e que terra seja leve para ti grande combatente da libertade.Honra e glòria a todos os nossos hèrois nacionais. Viva Cabo Verde livre e independente a nação mais joven do hemisferio.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.