Homicídio simples: pontapé nos testículos pode ter sido a causa da morte

24/06/2014 07:44 - Modificado em 24/06/2014 07:44

testiculosNesta segunda-feira, o juiz procedeu oito anos depois dos factos à audiência de julgamento do processo-crime de homicídio simples. O arguido Odair, de 32 anos de idade, é acusado de ter morto Roque José com um pontapé nos testículos na zona de Lombo de Tanque, no dia 13 de Fevereiro de 2006.

 

De acordo com o arguido, ele e um outro amigo Tchey que já faleceu, foram vender um balde à Dona Arcângela Lopes, irmã da vítima mortal, Roque José, e foi logo recebido com pauladas de vassoura nas costas desferidas pela Dona Arcângela. Odair tirou a vassoura das mãos da Dona Alcanjinha como é conhecida e partiu-a, quando o Sr. Roque José começou a bater-lhe com um pau de vassoura nas costas. Odair diz que em legítima defesa, pois estava a magoá-lo e começou a sentir muitas dores nas costas, “dei um chega pra lá com um pontapé de frente para trás .Ele caiu no chão e fui  embora.”

O Dr. Sabino Martins que assistiu à autópsia do corpo do Sr. Roque disse em tribunal que a causa da morte foi politraumatismo, já que a vitima  tinhaescoriações no escroto (bolsa que protege os testículos), no joelho e na cabeça, por causa de algumas agressões que ele não sabe se foi o arguido quem fez. Sabe-se que houve um vazamento do conteúdo do intestino delgado para o abdómen devido às lesões que podem ser devidas ao pontapé, mas que também podem ser compatíveis com a queda.

Para o Dr. Sabino, se a vítima não tivesse sido socorrida tardiamente, o caso poderia ter tido outro desfecho que não o fatal.

O Ministério Público não acredita que o arguido tivesse agido em legítima defesa, já que a Dona Alcanjinha e o Sr. Roque estavam em própria casa, mas a advogada de defesa diz que um pontapé não provocaria a morte do Sr. Roque.

É de realçar que o arguido ainda é acusado de ter assaltado um senhor e de ter levado uma garrafa com aguardente na companhia de amigos.

A advogada do arguido Odair pede a absolvição enquanto que o Ministério Público pede a condenação por homicídio simples com dolo eventual e roubo.

O Juiz do 1º Juízo crime da comarca de São Vicente dita a leitura da sentença no dia dois de Julho às oito horas e trinta minutos.

 

O crime

O caso aconteceu no dia 13 de Fevereiro de 2006, entre as 16 e as 17 horas. O arguido desferiu um pontapé nos testículos da vítima Roque José que caiu ao chão. Por volta das 23 horas foi levado ao banco de urgências do Hospital Baptista de Sousa e veio a falecer depois da uma hora da madrugada do dia 14 de Fevereiro.

 

  1. Clara Medina

    8 anos depois a sentença é pronunciada. Uma vergonha. Que tipo de justiça temos neste País!
    Que tipo de juízes temos neste País! No meu tempo, no tempo colonial, tal era impensável. Dirao que sou uma saudosista, eu que lutei lado a lado com Amilcar. Nao refiro a uma luta horizontal nas matas da Guine mas sim com toda a verticalidade.
    Mas nao é de admirar. Traimos os nossos ideais da revolucao. Cabo Verde já deu o que tinha a dar. Um País onde a justiça nao funciona está condenado a um atraso permanente. Coitado daquele que estiver de uma forma ou outra dependente desses juízes e da justiça caboverdiana. E o pior de tudo isto é que a situação vai piorar mais ainda. Há um défice de mentalidade que passou a ser uma constante na nossa atitude e no nosso comportamento e que nao vai mudar tao depressa.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.