Cabo Verde  deixou de ter projectos específicos na luta contra a desertificação

18/06/2014 08:54 - Modificado em 18/06/2014 08:54

pib-dinheiroCabo Verde deve mobilizar mais meios financeiros, reforçar as capacidades humanas e apostar na avaliação das suas acções de combate à desertificação e aos efeitos da seca.

 

Estas são as recomendações contidas no V relatório sobre a implementação por Cabo Verde, da Convenção das Nações Unidas sobre a Luta contra a Desertificação, CNULCD, –  apresentado ontem –  dia internacional -,  e que retrata o desempenho do pais,  de dois mil e nove até aos dias de hoje.

O documento foi elaborado com base na auscultação dos 22 concelhos do país, onde foi possível recolher informações e subsídios junto de todos os serviços desconcentrados do Estado, representantes dos municípios e actores locais que intervêm na luta contra a desertificação e os efeitos da seca.

O relatório indica como ponto fraco, o facto de Cabo Verde ter deixado de ter projectos específicos no domínio da luta contra a desertificação, o que está a ser feito através de actividades dispersas por vários programas e projectos, dificultando a avaliação, embora se reconheça que o arquipélago continue engajado nos esforços de luta contra a desertificação e a degradação das terras, dando grande destaque à informação e à sensibilização para a mudança de comportamento, educação e pesquisa sobre o fenómeno.

Consultores que analisaram o documento, apontam como grandes ganhos da luta contra a desertificação no país, a construção de barragens e diques, a introdução de novas técnicas e tecnologias na agricultura, o ordenamento das bacias hidrográficas, a elaboração e implementação de planos de ordenamento do território das várias ilhas, entre outras iniciativas, mas vão avisando que os recursos financeiros continuam ainda insuficientes para cobrir todas as necessidades em termos de combate ao fenómeno, sem esquecer os efeitos das mudanças climáticas.

O V relatório sobre a implementação por Cabo Verde da Convenção das Nações Unidas sobre a Luta contra a Desertificação vai ser submetido à Convenção a trinta deste mês.

  1. Emanuel Pereira Silv

    Pensamos que sim, que Cabo Verde deveria e deverá continuar com projectos e acções permanentes de luta contra a desertificação, pois como país frágil ecològicamente, não pode prescindir desses projectos e acções parmanentes.
    Quanto ao financiamento, achamos que, para além dos financiamentos externos, rubricas específicas façam parte do Orçamento do Estado. Outra vertente complementar é a exploração sustentável das áreas tratadas, com a criação de parques e outras actividades.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.