Ribeira Bote: Acidente de trabalho provoca uma morte

11/06/2014 08:34 - Modificado em 11/06/2014 08:34

IMG_4096Carlos Borges, guarda prisional, morreu no Mindelo, vítima de um acidente de trabalho. Carlos tinha saído do trabalho na noite anterior e tinha ido ajudar o pai numa obra e estava a trabalhar com um outro colega. Quando estavam a quebrar uma laje, o tecto cedeu e caíram juntos com os destroços e foram parar no rés-do-chão.

 

Egídio Silva e Nicolau Andrade eram outros dois trabalhadores que trabalhavam na obra mas só que estavam do lado de fora, juntamente com o pai da vítima mortal, o empregador. Contam que quando caíram, Carlos era o que apresentava maior preocupação já que os destroços caíram em cima dele. Egídio diz que “estava com muitas pancadas” mas que, no momento em que foram resgatados, todos estavam conscientes e foram socorridos pelos Bombeiros Municipais e levados para o Hospital Baptista de Sousa onde deram entrada no serviço de urgências.

Da conversa com os familiares, durante a espera no hospital deram-lhes a informação que os acidentados estavam fora de perigo. Mas, cerca de três mais tarde, foi confirmada a morte de Carlos Borges que não conseguiu resistir aos ferimentos. Foi o primeiro dia de trabalho na obra e o objectivo era o de demolir a casa para depois os pedreiros começarem o trabalho de construção.

Carlos deixa a mulher e dois filhos menores.

 

  1. Conhecida

    Descansa em paz Cau, que a terra lhe seja leve. Ele deixou três filhos: dois rapazes e uma menina.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.