“Regionalizar o quanto antes”

2/06/2014 00:08 - Modificado em 1/06/2014 23:12

Bandeira_MpDO MpD, querendo trazer o tema da regionalização para um debate a fim de encontrar consensos, organizou no Mindelo um debate sobre a regionalização sob o tema “um caminho para o desenvolvimento”. O encontro contou com a presença de membros da direcção nacional e local do partido, representantes de outras Câmaras Municipais e ainda figuras mindelenses. No final do debate, o coordenador local do MpD, João Gomes, manifestou satisfação na realização do debate e afirmou que a partir deste momento “o debate da regionalização vai ser diferente”.

 

Para este líder político, a regionalização “é um caminho para o desenvolvimento de Cabo Verde”. E o partido posiciona-se contra o centralismo governamental e a favor da oportunidade para todas as ilhas se desenvolverem, de modo a reduzirem as assimetrias entre as ilhas.

O vice-presidente do partido, Luís Filipe Tavares que presidiu ao debate, acrescenta que o partido quer trabalhar “com os partidos políticos e a população para criar compromissos e consensos para o tema da regionalização”. Mas adianta que o MpD já tem uma ideia apresentada sobre a regionalização mas que está aberto ao debate e à recolha de subsídios para verificar a melhor opção de regionalização para São Vicente.

No documento apresentado pelo MpD para o debate e assinado pelo presidente do partido, Ulisses Correia e Silva, o partido apresenta “uma proposta concreta de regionalização enquadrada na reforma do Estado”. E para o vice-presidente, a questão não pode fugir a uma reforma do Estado para a criação de Regiões. “Através da regionalização, não só se procura a proximidade e a eficiência administrativa, mas também a proximidade e a eficiência política”, afirma.

Para Luís Filipe, a regionalização é uma prioridade para o MpD. Segundo o mesmo, se até 2016 Cabo Verde não estiver transformado em regiões e se o seu partido for eleito e com uma maioria qualificada, a primeira acção que vão tomar é regionalizar o país. E o partido defende que a questão da regionalização não coloca em perigo a coesão nacional, já que dá como exemplo a criação dos municípios.

O coordenador do MpD em São Vicente adianta que com os subsídios recebidos, o partido vai criar uma brochura com as ideias partilhadas durante o debate para dar a conhecer a proposta do partido para o tema da regionalização.

 

  1. antonio dos santos

    O Carlos Veiga durante a apresentação técnica do documento clarificou conceitos, desmontou mitos para, no fim, justificar por que a Regionalização não onera o País, mais sim, a não regionalização aprofundará a crise que o País vive. Todos, mais todos os que lá estiveram, desde as 9 horas de manhã as 18,30 de tarde, entendem que valeu a pena o tempo que lá passaram. Acredito que estamos perante uma nova revolução em Cabo Verde, esta agora na REFORMA POLÍTICA E ADMINISTRATIVA DO TERRITÓRIO.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.