Djodje: “o futuro do futebol cabo-verdiano passa pelos escalões de formação”

26/05/2014 07:38 - Modificado em 26/05/2014 07:38

gestao futebolJorge Humberto Conceição, 44 anos, simplesmente “Djodje” no meio mindelense é uma referência do futebol em Cabo Verde. Nascido na ilha de São Vicente, há cerca de 20 anos que Djodje escolheu o caminho da formação de crianças, adolescentes e jovens que ingressaram no mundo do futebol. Jorge Conceição é um ídolo para muitos jogadores, com quem partilha as suas ideias e juntos vivem momentos de glória com os títulos.

 

Para Djodje, o futuro do futebol cabo-verdiano passa pelos escalões de formação. O entrevistado assegura que a presença de Cabo Verde pela primeira vez no Campeonato Africano das Nações é um exemplo a seguir e que o trabalho contínuo de formação de jovens jogadores faz com que cheguem a um nível de excelência.

“Sem formação, não há hipóteses, o futebol de Cabo Verde passa pela formação. É indiscutível, não há recursos, o que se pode fazer é apostar numa formação de qualidade”, defende Ddodje.

Jorge Conceição, como qualquer cabo-verdiano amante do futebol, com a bola nos pés cruzou os campos de terra na ilha de São Vicente. Porém, com o passar dos anos, apesar de ser um jogador com qualidade e dotado de aspirações, Jorge entendeu que a sua potencialidade no futebol passava pela organização.

“Desde miúdo que tinha uma paixão para organizar as equipas e os jogos. Jogava com qualidade, mas sempre nos jogos de zona. Ganhei o hábito pela organização, que é algo interessante e, ao ver que tinha algum dom para ser treinador, adoptei-o como uma forma de viver o futebol”, assegura Djodje.

Com a sua capacitação e empenho na formação de jovens futebolistas, através do cidadão Victor Lima, membro do clube Corinthians de São Vicente, Jorge Conceição ingressou nesse clube, pois “reconheceram que eu tinha algum talento em matéria, de modo que comecei a trabalhar no Corinthians e, até esta data, estou envolvido no futebol de formação”.

Djodje caracteriza o tempo que passou no Corinthians, como de boa experiência para a reintegração social de vários indivíduos que passaram pelo clube. “Apesar de ser uma equipa com fracos recursos económicos, alcançámos vários objectivos, porque dedicávamo-nos aos aspectos sociais, isto é, havia alguns meninos com comportamentos considerados desviantes. Mas através da sua integração no futebol e com a sensibilização social conseguiam-se mudar tais procedimentos”.

Jorge Conceição passou pela equipa sénior do Amarante como técnico-adjunto e, depois, como treinador. Porém, a sua paixão residia nos escalões de formação que assume como uma referência para a vida. Neste momento, Djodje está ao serviço do Batuque FC, um clube, segundo o entrevistado, que “dá prazer trabalhar, pois é uma equipa bem organizada, onde já fizemos muitas coisas, inclusive enviar jogadores para o estrangeiro. São jovens que fizeram a sua formação no clube e isso dá uma enorme satisfação”.

“Djodje”, com os seus miúdos, foi à Europa participar em torneios internacionais, como no caso da Academia Carlos Alhinho e do Batuque Futebol Clube. Ao serviço do Batuque FC, no escalão sub 17 é pentacampeão Regional e tricampeão de Cabo Verde. O técnico assegura que “conquistar títulos traz alegrias e é o culminar de um grande trabalho. Mas o mais importante é formar os jovens no aspecto humano da formação e da educação para, posteriormente, serem jogadores”.

O entrevistado defende que ao longo dos anos soube conciliar as duas tarefas com os “meninos” com quem trabalhou e com aqueles que hoje fazem parte do seu círculo de trabalho. Djodje assegura que as experiências revelam que o desporto tem a capacidade de desenvolver as capacidades humanas. E que no caso do futebol, conseguiu colher bons frutos, dada a qualidade e os princípios de interacção que sempre desenvolveu com os pupilos.

“A forma de cativar quem procura os meus serviços de formação é trabalhar e estar disponível para partilhar momentos e sermos amigos. Dá-me satisfação ver esses jovens a crescer e a singrar com os próprios pés. Alguns prosseguem com os estudos e no mundo do futebol, ao ponto de ajudarem os familiares que, às vezes, enfrentam dificuldades”, conclui Jorge Conceição.

 

  1. Ricky

    Melhor Treinador de Cabo Verde !!!
    És enorme mister !

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.