Farmácia do Estado: utentes exigem abertura aos fins-de-semana

23/05/2014 07:22 - Modificado em 23/05/2014 09:07

20140522_183024[1]Os utentes querem a farmácia do Estado a trabalhar aos fins-de-semana. É que a farmácia fecha à sexta-feira às 15:00 horas e só abre à segunda-feira às 08:00 horas. Muitos dizem que a farmácia deveria abrir aos fins-de-semana porque, muitas vezes, têm de esperar até segunda-feira para comprarem o remédio, pois não têm dinheiro.

 

Carmen Rocha acredita que a farmácia deveria abrir aos fins-de-semana, porque, muitas vezes, não tem dinheiro para comprar nas farmácias privadas. “O problema é que muitas vezes não temos o dinheiro para comprar remédios aos fins-de-semana”. Ela diz que conhece pessoas que já ficaram sem comprar remédios porque adoeceram no fim-de-semana e não tinham dinheiro para comprar o remédio.

Ana Brito adianta que gostaria que abrissem a farmácia do Estado nos dias de descanso. É que muitas vezes já ficou sem tomar um remédio de imediato, porque não tinha o dinheiro para comprá-lo nas farmácias privadas. Diz que se abrissem pelo menos um período do dia, as pessoas que não conseguem comprá-lo nos privados, poderiam ir à farmácia do Estado.

 

Tanha Fernandes adianta que muitas pessoas ficam sem remédios aos fins-de-semana, uma vez que não têm dinheiro para comprarem os mesmos. Tanha acrescenta que nos privados fica muito caro, enquanto que na farmácia do Estado paga somente 100 escudos, “o que faz muita diferença no meu dinheiro”.

 

Jacinta e Luís também acham que a farmácia do Estado deveria trabalhar aos fins-de-semana. Do ponto de vista dos dois, muitas vezes, as pessoas não têm dinheiro vara comprarem os remédios e têm de esperar até segunda-feira.

 

A directora técnica da farmácia do Estado, a farmacêutica Ana Filomena Cruz, diz que a questão do funcionamento da farmácia do Estado aos fins-de-semana é algo a que estão sensíveis, mas “irá requerer alguma reorganização dos serviços, porque nós vamos precisar de mais técnicos de farmácia”. Segundo a farmacêutica, os técnicos de farmácia são uma categoria que neste momento, devido às restrições da função pública,  que não está a ser formada, porque “não tem enquadramento a nível da função pública”.

 

A directora técnica da farmácia do Estado acrescenta ainda que há alguma carência de quadros farmacêuticos e que são questões que os têm preocupado, pois “sabemos que as pessoas que vão à farmácia do Estado são, muitas vezes, pessoas carentes que nos fins-de-semana, às vezes não têm o dinheiro necessário”.

 

Ana Filomena Cruz, promete trabalhar essa questão porque, segundo ela, tem de ser bem pensado para prestar um serviço de qualidade à população mindelense e cabo-verdiana.

 

 

  1. santos

    concordo plenemente com essas utentes, voces tem razão é claro que a farmacia não pode ficar fechada aos fins de semana, pensam que aos fins de semana uma pessoa não adoce. Esta é uma questão que deve ser resolvida o mais rápido possivel

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.