A maioria das escolas de São Vicente está a ” cair aos bocados “

22/05/2014 07:33 - Modificado em 22/05/2014 07:33

COOKIE2Não é apenas o patrimônio no centro da cidade do Mindelo que está abandonado e degradado.A maioria das escolas da ilha “está a cair aos bocados”. E… a ministra da educação no ar condicionado no seu gabinete na cidade da Praia.

 

Quase na recta final do ano lectivo 2013/14, as instituições de ensino como as escolas primárias e secundárias não viram qualquer obra de requalificação. A maioria das escolas ou quase todas, carece de sérios problemas de infra-estruturas em consequência de problemas estruturais dos prédios onde a maioria foi construída há várias décadas. Todas as escolas enfrentam dificuldades na sala de aulas com as goteiras e o risco do telhado cair. Tectos das salas comprometidos, colocando em risco a segurança dos muitos alunos e professores.

 

Em diversas escolas, podemos ver portas e janelas quebradas e emendas nas casas de banho. Há portas quebradas e os tectos das salas estão estragados.O mesmo acontece na cozinha, onde os armários estão danificados e o frigorífico enferrujado.

 

Os problemas agravam-se com a chegada das chuvas devido as dificuldades no telhado e no forro, para além das infiltrações e defeitos na parte eléctrica. A Escola da Praça Nova é um dos exemplos onde, por motivos de segurança, os alunos foram transferidos para outras escolas.

 

A directora do pólo nº 9 Monte Sossego diz que a escola encontra-se bastante degradada tendo em conta que foi construída logo após a independência. A directora, preocupada com a segurança dos alunos, elaborou um projecto que foi enviado para uma associação na Suíça que possivelmente irá financiar o projecto de reconstrução da escola.

 

Alunos e funcionários também clamam por uma reforma no edifício. Os problemas estruturais que se agravam com o período das chuvas, intensificam-se ainda mais porque o tecto falso das salas de aula está a cair em pedaços.

 

O director da escola Semião Lopes, na Belavista , ressalta a necessidade de reforma da escola tendo em conta que algumas salas foram construídas há vários anos e propõe a desactivação das salas que não oferecem as mínimas condições de segurança.

O director mostra-se preocupado com as condições da escola e avança que a escola precisa de melhores infra-estruturas, nomeadamente o calcetamento pátio porque o recinto é descampado e a falta de uma placa desportiva para a realização das modalidades desportivas onde os alunos possam fazer educação física em boas condições.

O Liceu Ludgero Lima, popularmente conhecido como Liceu Novo, é um dos liceus mais antigos do país. Segundo o director do liceu, José Cândido, o edifício necessita de uma remodelação profunda.

COOKIE2O mesmo descreve as preocupações quanto à situação do liceu. “Em relação à biblioteca, é muito rica em obras, mas são muito antigas: um grande défice quanto aos manuais escolares, há necessidade de mais manuais e equipamentos que possam facilitar o acesso ao conhecimento por parte dos alunos. A situação das casas de banho e do piso do pátio da educação física não são as melhores, há uma fraca iluminação do pátio”.

Embora algumas escolas tenham feito esforços diversos e pedidos de socorro no sentido de melhorar as condições degradantes em que se encontram , algumas tiveram a sorte de verem uma luz no fundo do túnel quanto a promessas de financiamento, outras aguardam um dia para serem acudidas.

 

  1. cidadã

    caboverdianos em geral nos é mut pacifico dmas,ne otes lugar gent t oia prop alunos t manifesta ses direitos,pais t faze manifestação,cont escolas q t dá ses ficth condições p frequentas,ma nos não tud t estod dret,nos é mut acomodot no q t manifesta,no q t reclama p nos direit es governantes t faze nos got e sapot,no q t sei p rua se no sei é um minoria por causa med repressalhas,tinha manifestação geral no oia o q contece es ameaça trabalhadores e assim es cancela manifest,

  2. Jandira Lopes

    Há um paralelo entre as escolas de S.Vicente e o sistema de ensino pós independência. Ambos “estao a cair aos bocados”.
    Contactando alguns jovens estudantes fico totalmente estupefada com o seu baixo nível educacional. Está claro que a culpa nao é apenas destes jovens. Eles sao o reflexo do nível do sistema educacional instaurado após a independência. E para piorar este quadro temos ainda mais de uma dezena de “pseudo-universidades”. Em França e se os meus dados sao correctos temos uma universid

  3. Jandira Lopes

    Há um paralelo entre as escolas de S.Vicente e o sistema de ensino pós independência. Ambos “estao a cair aos bocados”.
    Contactando alguns jovens estudantes fico totalmente estupefada com o seu baixo nível educacional. Está claro que a culpa nao é apenas destes jovens. Eles sao o reflexo do nível do sistema educacional instaurado após a independência. E para piorar este quadro temos ainda mais de uma dezena de “pseudo-universidades”. Em França e se os meus dados sao correctos temos uma universidade para cerca de 500 mil almas. Cabo Verde com quinhentos mil habitantes aproximadamente tem dez vezes mais. Nós somos simplesmente “bodónas”.
    E com a crise que chegou nao poderemos falar de “queda aos bocados” mas sim de uma caída vertiginosa ou seja de uma derrocada.
    Chamem-me de saudosista mas no meu tempo o ensino tinha outro nível, pois tínhamos professores na maioria competentes e nao comissários políticos ou agentes da policia secreta.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.