DryBath: vai um banho sem água?

1/07/2012 17:15 - Modificado em 1/07/2012 17:15
| Comentários fechados em DryBath: vai um banho sem água?

Um estudante universitário criou um gel antibacteriano que cumpre a função de um banho… mas sem recurso a água. A fórmula inovadora já foi premiada

 

O sul-africano Ludwick Marishane, de 22 anos, desenvolveu, em cerca de seis meses, o primeiro banho do mundo sem água.

Chama-se DryBath (banho seco) e a ideia já lhe valeu o prémio de Estudante Empreendedor do Ano (2011) da Universidade da Cidade do Cabo, na África do Sul. O objectivo? Salvar vidas em locais onde a água escasseia.

A ideia – que já vem da adolescência – nasceu para “solucionar” a preguiça de um colega de Marishane na hora de tomar banho.

Porém, a ambição do estudante universitário levou-o a pensar mais alto: para além de poder ser usado em longas viagens de avião, por exemplo, o DryBath evitará doenças relacionadas com a falta de higiene, tais como a tracoma ou a diarreia.

Só em África, acrescenta, existem mais de 450 milhões de pessoas sem acesso à água ou a condições básicas de saneamento.

O gel resulta de uma mistura de um biocida, bioflavonóides e hidratantes e a aplicação deve ser feita sobre a pele – à semelhança de um creme comum – sendo que a fórmula antibacteriana promete eliminar 99,9 por cento das bactérias.

Marishane já iniciou a negociação com companhias aéreas, exércitos, empresas e governos. Apercebendo-se que as pessoas mais pobres compram à unidade e não em grandes quantidades, o preço de cada embalagem individual foi estipulado em meio dólar (cerca de 40 cêntimos) para as comunidades mais pobres e a 1,5 dólares (aproximadamente um euro e 20 cêntimos) para empresas de transporte aéreo e hotéis.

Em 2014, o produto deverá ser comercializado em todo o mundo.

 

 

 

publico.pt

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.