O santo da casa e a pedrada no charco

19/05/2014 00:00 - Modificado em 18/05/2014 22:39

carlos lopesE os santos de casa continuam a não fazerem milagres enquanto fazemos novenas, ladainhas, missas rezadas e acendemos velas para os santos de fora que também não fazem milagres e limitam-se a atirar pedradas aos charcos.

 

O primeiro-ministro José Maria Neves, questionado sobre as declarações do secretário geral-adjunto das Nações Unidas, Carlos Lopes, para quem os investimentos feitos por Cabo Verde serão perdidos se o país não mudar a sua ancoragem “demasiado próxima da Europa” para África, lembrou que foi ele quem em 2001 defendeu a ancoragem à CEDEAO. E atirou as culpas para o MpD defendendo que “durante a década de 90, praticamente abandonámos a CEDEAO e eu regressei à primeira Cimeira em 2001. Cabo Verde perdeu muito da sua capacidade de influência aqui na região e foi difícil para Cabo Verde retomar a sua participação e recuperar o seu prestígio”. A verdade é que quando em 2001, no Mindelo, José Maria Neves defendeu a ancoragem à União Europeia e à CEDEAO em simultâneo, foi gozado e mesmo dentro do seu partido, não foi levado a sério. É que no início deste século “as mentes brilhantes e pensantes do País” achavam que devíamos ir ou para um lado ou para outro e riram-se do iniciante e inexperiente primeiro-ministro. Isto quando em 1835-1836, Joaquim Pereira Marinho, o governador proscrito porque quis mudar a capital para São Vicente, tinha chegado ao Porto Grande do Mindelo e idealizado uma economia onde os produtos chegariam da África Ocidental e seriam comercializados para a Europa e a América a partir de São Vicente: ou seja, a ancoragem à África e à Europa. E tendo em conta Pereira Marinho e José Maria Neves, parece que este último tem razão quando diz que as declarações do secretário geral-adjunto das Nações Unidas, Carlos Lopes sobre este assunto são “uma pedrada no charco” e que se sente recompensado por um lado e desiludido pelo outro, porque “tenho falado aqui em Cabo Verde de muitas destas questões. Infelizmente, em muitas circunstâncias, o santo de casa não faz milagres”. Mas a ideia de que devemos ir só para um lado continua com seguidores. O primeiro-ministro instado se não é o momento de se repensar na ancoragem do país em relação à Europa, respondeu: “Não podemos ter uma perspectiva muito exclusiva. E, nesta parte, eu relativizaria um pouco a intervenção de Carlos Lopes. Foi fundamental para Cabo Verde, para a sua credibilidade, a sua Parceria Especial com a União Europeia”.

E os santos de casa continuam a não fazerem milagres enquanto fazemos novenas, ladainhas, missas rezadas para os santos de fora que também não fazem milagres e limitam-se a atirar pedradas aos charcos.

Eduino Santos

 

  1. Chapa Quente

    É VERDADE QUE JÁ SE DESCOBRIU QUE GEREMIAS FURTADO, AFINAL, NÃO É JURISTA?! Ele foi Director-Geral dos Serviços de Viacção e Transportes Rodoviários e, ultimamente, assessor jurídico da ministra Marisa Morais. OH NOTÍCIASDONORTE, ESTA NOVIDADE NÃO DÁ PARA PASSAR EM BRANCO!

  2. fazan favor!!!!!!!!!

    Sim una zona esta en crisiis ,malparada llamese como se llame ,CV debe pensar en plan _B = censo comun ,sea ese Plan -B , como se llame ,siempre q nao sea ,la zona de crisis . Sim la zona en crecimiento es NEGRA.AFRICANA ,q mal hay en unirse ??
    el negro nao mancha !!!! Para q sepan : Nigeria y GANA estan por encima de africa del sul ,cuanto mais de CV !!! y nao venha con a istoria de corrupçao, q aqui como en europa estan con palito y gravata . Fiquen na cola da UE ,veran!

  3. adoreiiiiiiiiii

    Sr Carlos lopes ,fue genial , tanto q pondre sua foto en mi avatar de worpress!!! Nada como escuchar de cerca ideas brillantes e vivir la urgencia de un norte,este pueblo tiene sus jovenes desmpregados e as familias endividadas. OBRIGADA

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.