SOSSIR vai despedir quarenta trabalhadores

13/05/2014 07:25 - Modificado em 13/05/2014 07:26

DESPEDIMENTOSCerca de 40 trabalhadores da empresa de limpeza Sossir vão ficar desempregados dentro de três a quatro meses. De acordo com João Gomes, gerente da empresa, vai reduzir o número de trabalhadores e aumentar as horas de trabalho. As pessoas passam a trabalhar 8 horas por dia para cumprirem a lei do salário mínimo. É que a empresa não estava a cumprir com lei e não ajustou o salário mínimo.

 

Os funcionários que têm menos de cinco anos de trabalho na Sossir vão para o desemprego à medida que os contratos a prazo vão terminando. Os que continuarem na empresa passam a trabalhar oito horas por dia e a ganhar o salário mínimo de 11 mil escudos. “A partir do mês de Maio, os trabalhadores vão receber 11 mil escudos. Agora, uma coisa é certa. Aqueles que nos dias 26 ou 27 já tinham o dinheiro na conta, correm o risco de chegarem ao fim do mês e não terem o dinheiro na conta”. Sublinha o gerente da Sossir.

Esta diminuição do pessoal é consequência de uma denúncia por telefone, como explica Bruno Ferreira, inspector da Direcção-Geral do Trabalho, pelo que no dia 24 de Abril, se deslocaram à Sossir a fim de constatar in loco uma denúncia sobre o não pagamento do salário mínimo. Feita a inspecção, notificaram a empresa para enviar os documentos da folha de pagamento do INPS e da folha de recibo dos vencimentos, onde iriam fazer o levantamento de todos os trabalhadores que não têm recebido o salário mínimo.

De acordo com João Gomes, em finais de Janeiro quando a lei entrou em vigor, reuniu todos os trabalhadores da Sossir da área de limpeza, informando as cerca de 180 pessoas que a lei obrigava ao pagamento do salário mínimo de 11 mil escudos. O gerente diz que “nessa altura, tínhamos duas opções a tomar: ou aplicávamos a lei e pagávamos 11 mil escudos a toda a gente e isso implicaria redução de pessoal ou então, as pessoas continuavam a trabalhar, portanto, no mesmo regime, recebendo o salário de nove mil escudos”. João Gomes acrescenta ainda que a totalidade das pessoas não trabalha oito horas por dia: “em média, as pessoas trabalham quatro horas por dia e há um número grande de trabalhadores que trabalha menos de quatro horas”.

Segundo João Gomes, as empresas onde a Sossir presta os seus serviços não estão em condições de aumentar os honorários que pagam à Sossir e há serviços que devem oito a nove meses de remuneração. Mesmo assim, o gerente afirma: “no entanto não há um trabalhador da Sossir com salário em atraso. A Sossir não deve um centavo à providência social, ao fisco”.

E de acordo com o gerente, daqui a três ou quatro meses, cerca de 40 trabalhadores com menos de cinco anos de serviço na Sossir vão começar a receber cartas de rescisão do contrato.

 

  1. Geronimo

    As empresas que solicitam o serviço a Sossir , pagam 30 e poucos contos para cada trabalhador (salvo erro) .
    O gerente da Sossir, devia levar isso em conta .
    Bem que a empresa tem suas despesas, mas penso que ” mandar” 40 trabalhadores ao desemprego,não é a decisão correcta.
    tem que ver o lado humano, Sr. Gerente.
    aguardo sua resposta.

  2. Mindelense

    Entendo que os trabalhos, por lei, têm direito ao salário mínimo, mas é importante que antes de qualquer exigência saibam as condições da respetiva empresa. Este caso poderia ser evitado se antes da denûncia pudesse ter havido um consenso entre os trabalhadores e o patronato. Não entendo é como é que alguns dos trabalhandores cumprindo menos horas de trabalho/dia exigido por lei, possam ter entrado nessa situação, pelo menos terão direito a indemnização um salário para cada ano de trabalho.

  3. Mindelense

    Queria corrigir o comentário anterior, não Entendo que os trabalhos, mas sim, Entendo que os trabalhadores….., obrigado NN.

  4. João Gomes

    Sr. Gerónimo.
    Os honorários recebidos pela Empresa por trbalhador, são muito inferiores aos valores por si indicados. A título de exemplo, há um serviço, onde a Empresa cobra de honorários 25.000$00/mês e nele trabalham duas senhoras a receberem até à presente, 9.000$00 de salário. Se adicionar encargos da Empresa com o INPS, impostos, equipamentos e produtos que utilizamos na prestação do serviço, vê que, não temos lucro algum. A SOSSIR é uma empresa privada sim, mas com uma filosofia m/ social

  5. Rodrigo

    Desejo a Sossir muita força para que possa continuar a criar postos de trabalho, numa ilha em que reina o DESEMPREGO.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.