Que chatice é esse? Universidade Lusófona sem tutores para a orientação das monografias

9/05/2014 01:21 - Modificado em 9/05/2014 01:21

procurarOs estudantes da Universidade Lusófona de Cabo Verde em São Vicente reclamam pela falta de orientadores para a realização das monografias.

 

Segundo os universitários entrevistados pelo NN, a situação tem vindo a arrastar-se desde a saída dos primeiros licenciados. “Conseguir um orientador para uma orientação da monografia é quase como ganhar um totoloto”. Os docentes não estão dispostos a orientar um trabalho de conclusão do curso e a Universidade não cria condições para que isso aconteça.

 

Vários alunos estão dependentes da Lusófona para concluírem o curso. “Tentei várias vezes falar com os responsáveis e nunca estão disponíveis ou então, dizem para aguardar que vão tratar do assunto e nunca mais nos dão uma resposta”- diz uma aluna. Por isso considera que “É inaceitável que um aluno que frequente uma Universidade e que tenha a propina em dia, não tenha direito a um tutor para acompanhar o trabalho de final do curso”. A jovem que e veio de S.Nicolau diz que terminou o curso no ano passado e até agora está atrás de um orientador para lhe acompanhar no trabalho final. ” Apresentei uma proposta à Universidade e continuo a aguardar uma resposta da reitoria.”. Ou seja junta-se a lista de espera e dos gastos com a estadia em São Vicente.

 

Isabel Lobo, directora do Departamento de Ciências Humanas e Sociais da Universidade Lusófona, defende que “a falta de orientadores para as monografias não é um problema, mas sim um estrangulamento que está a ser resolvido e que é uma situação que ocorre em várias universidades”. Mas os alunos que não têm culpa da situação perguntam: que estrangulamento é esse ?

  1. José Maria Nevada

    Universidade que “engole” dinheiro do estudante e não finaliza o processo de formação do mesmo é ladrão! alguém deve responsabilizar-se por isso! afronta no meu próprio país!estrangulados estamos nós com esse ensino superior que não passa de enriquecimento ilegal de alguns às custas de muitos! fechem estas pseudos-universidades! de universidade têm pouco, são supermercados de onde se paga mas não se leva nada!

  2. Carlos Ramos

    Extraido do artigo “Desemprego dxi? Bô tá na goze ma mim, nê! publicado no jornal online Expresso das Ilhas.

    [Pior, as pessoas começam a sentir-se inúteis, a pensar apenas em viver o dia-a-dia, porque ficam preocupadas com a satisfação das necessidades básicas, como conseguir uma refeição. E os primeiros a sentir esse desânimo são os mais novos. Melissa Alves pertence à Associação de Jovens Quadros. Ela própria é um exemplo de uma jovem qualificada que não está a trabalhar na área de eleição. Formada em microbiologia, e a tirar um doutoramento em desenvolvimento sustentável e social, é actualmente prestadora de serviços numa empresa de turismo. E é peremptória: esteve a enganar-se uma geração. “Há demasiadas universidades e tornaram-se num negócio, o objectivo não é formar bem mas ganhar dinheiro com os jovens. Os alunos não saem preparados. Não saem com inglês eficiente, com conhecimentos de informática, não saem com o dom de resolver problemas. Por exemplo, na minha empresa, o meu patrão dá prioridade à contratação de cabo-verdianos, mas agora teve de ir buscar.]

  3. JM

    Sr.José Maria Nevada. Gostei do seu comentário lol…nem mais, tudo dito em poucas e boas. 😀

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.