Viver do lixo: disputar a comida com os cães

2/05/2014 00:03 - Modificado em 1/05/2014 23:46

02.03-HOMEM-DO-LIXO-CJMA luta pela sobrevivência trava-se nas ruas de Mindelo. Em cada caixote de lixo . No meio dos restos de comida.E não raras vezes a comida tem que ser disputada aos cães que também procuram sobreviver da comida do lixo.

 

Fredson, pai de dois filhos soube bem aproveitar esses restos de alimentos como “comida para porcos”. “Recolho os restos de comida que encontro dentro dos contentores para vender às pessoas que fazem criação de porcos e conseguir o sustento da minha família”.O jovem pai teve a oportunidade de estudar até à 3ª classe e, sem grandes habilitações, Fredson consegue com as sua mãos cheias de “calos” marcadas por uma vida extremamente dura e difícil, concertar electrodomésticos diferentes, rádios, televisores e, ainda, realizar trabalhos de electricidade em casa das pessoas.

Mas é do lixo que tenta tirar o sustento diário . E não é fácil , devido a concorrência : a sorte está reservada a quem chegar primeiro aos restos de alimentos.

 

Fredson conta que “há outras pessoas que passam também por estas situações e fazem o mesmo trabalho, por isso, nem sempre consigo um balde de comida de porco para vender”.

 

“Tento de diferentes maneiras lutar para sustentar os meus filhos, as condições difíceis de viver obrigaram-me a fazer este trabalho porque não tive outras saídas. O trabalho de electricidade não aparece todos os dias, por isso, arranjo outras alternativas para conseguir o pão de cada dia para os meus filhos”.

A vida não ofereceu a Fredson oportunidades de fazer escolhas. A única oportunidade de trabalho e sustento que sobrou para a sua família foi a da recolha das migalhas, dos restos de comida que vão parar ao lixo .

  1. oaoa

    Pergunto que idade tera o jovem que a vida nao lhe deu oportunidad para estudar, ja que sou filho de pobres e as vezes nem tinha sapato adecuado mas estudei e hoje sou um profissional…. posso dizer que todos os jovens da minha idade (31 anos) em Sao Vcente e tiveram a mesma oportunidad que eu para candidatar-se para uma bolsa de estudo….talvez hoje em dia nao seja o mesmo , mas naquele tempo (ano 1999-2000) todos os de Sao Vicente tinhamos essa mesma oportunidad.

  2. Irene Fontes

    Coragem, Ferdson !!! Quando se é honesto todo o trabalho é decente. Se sabes que depositam restos (para porcos) nos caixotes de lixo, faz como fazia um senhor que conheci em Dakar. Passava todos os dias, a horas combinadas, para recolher restos dos restaurantes. Em pouco tempo ele tinha uma grande criação de suinos e vivia… decentemente.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.