Cães vadios: Populares impedem a recolha

2/05/2014 00:01 - Modificado em 1/05/2014 23:41

caoA recolha dos cães vadios tem sido um trabalho extremamente difícil e dispendioso para a Câmara Municipal. Os munícipes dificultam a equipa de recolha dos cães vadios, atirando pedras aos funcionários e aos animais para os afugentarem, impedindo assim de facto, a recolha. A equipa de recolha está disponível diariamente, com uma viatura à disposição, propositadamente para prestar este serviço à população para pôr cobro ao problema dos cães vadios.Mas o certo é que cada dia o número de cães vadios aumetam.

 

A Câmara Municipal de São Vicente, mostra-se preocupada com o problema dos cães vadios e, para responder às frequentes reclamações da população, tem vindo a fazer a recolha diária desses animais em todas as zonas da ilha e a população tem vindo a dificultar o trabalho impedindo a resolução do problema de que todos se queixam.

 

Para o vereador do Saneamento, Anildo Fortes “o problema está a ser resolvido através da recolha dos cães vadios abandonados nas ruas.” Temos consciência que este problema existe, por isso, traçamos um plano de recolha dos animais”.

 

O mesmo adianta que “tem sido um trabalho extremamente difícil com um custo enorme, tendo em conta o grande número de animais e a colaboração dos munícipes tem sido muito fraca. Sempre que a equipa se desloca a certas zonas, as pessoas dificultam a recolha, impedindo a caça dos animais”.

 

A população não contribui para solucionar o problema. “Em determinadas situações tivemos de recorrer à Polícia Nacional para apoiar a equipa porque as pessoas impediam a recolha atirando pedras e escondendo os animais”.

 

A equipa de recolha é constituída por três funcionários que diariamente realizam a recolha em diversas zonas da ilha de São Vicente. O responsável afirma que “os animais recolhidos são levados para o Canil Municipal e, segundo o código de postura municipal, “os cães permanecem 3 dias no canil. Caso os respectivos donos não reclamarem o animal durante esse período, os que se encontram em estado mais debilitado são eliminados com uma injecção com a assistência de um veterinário”.

 

Apoio da Si Ma Bo

Com o apoio da Si Ma Bô, Associação para a Protecção dos Animais e do Ambiente, “os outros animais aparentemente saudáveis, são enviados a esta associação a fim de receberem tratamento e serem castrados. Para o vereador Anildo Fortes, estas medidas “têm tido um custo enorme para a Câmara, tais como despesas com os funcionários, combustível, medicamentos como a quetamina, o cloreto de potássio, a alimentação dos animais recolhidos durante os três dias.

 

O vereador apela à colaboração dos munícipes para “que ajudem a Câmara Municipal a eliminar a quantidade de cães nas ruas. Nós fazemos a recolha e a população deve colaborar. Quando a equipa estiver na zona, não atirem pedras impedindo o trabalho da Câmara, que deixem de alimentar os animais, porque quanto mais os alimentarem, maiores condições terão para se reproduzirem e proliferarem”.

 

Segundo o código de postura municipal, a devolução dos animais recolhidos aos respectivos donos só será feita com o pagamento de uma multa que vai de 500 a 5000 escudos. Os dados de recolha de cães vadios em 2013 apontam para cerca de 500 animais recolhidos e, segundo os dados mais recentes, em Janeiro de 2014, já foram recolhidos 98 cães.

  1. Carlos Fortes

    Deitar a culpa nos munícipes é culpa de mau pagador. Se os funcionários sao impedidos de executarem as suas funções devem recorrer à assistência da policia. Se fôr por uma questão eleitoral podem recolher esses cães à noite pois eles dormem na rua e muitos dos seus donos ou estao atras de uma novela ou atras de mais um grog.
    Além disso eu nunca vi tal carro nem nunca presenciei tal espectáculo apesar de me encontrar frequentemente na rua tanto de dia como de noite. O vereador responsável deve abandonar a sua secretaria e in loco inteirar da situação pois é quase certo que os funcionários em questão podem estar inventado tal situação.
    Pergunto se os munícipes deixarem de pagar os impostos municipais, tais como o aberrado aumento de mais de 100 % da IUR, se resolvessem atirar com pedras aos funcionários encarregados de receberem coercivamente esses impostos em atraso qual seria a reacao da Camara.
    O vereador é pago nao para aquecer a cadeira ou representar um ou outro partido politico mas sim para prestar um servico aos munícipes.
    Se nao fôr capaz então abdique-se por favor deste cargo e escolha uma profissão para a qual tenha mais talento.
    Ao presidente da Camara cabe, nao apenas ser acessível mas tambem fiscalizar o desempenho dos vereadores e tomar as medidas respectivas.

  2. Atentor

    Bom trabalho CMSV e PN, cada vez eu acho que deveria ser feito um trabalho de mestrado referente ao comportamento e mentalidade da sociedade cabo-verdiana, é incrível e impressionante de como reclamam por tudo, quando as autoridades não tomam medidas e quando tomam. Aproveito para alertar a CMSV e PN que em Madeiralzinho é preciso urgentemente a recolha ou eliminação dos cães vadios, é uma afronta o espalhar do lixo e o barulho ensurdecedor a noite e de madrugada. FORÇA CMSV E PN.

  3. Revoltada

    Concordo! Mas primeiro precisamos começar a recolher ou eliminar os vândalos, os sem teto, as pessoas ignorantes que não conhecem 1 caixote de lixo, os assassinos, os pedófilos e por ai vai…O ser humano sempre achando que é superior aos outros e que pode simplesmente sair por ai eliminando quem lhe incomoda…Impressionante como as pessoas podem ser tão frias e sem coração!!!

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.