Motociclista atropela mulher numa passadeira

23/04/2014 00:08 - Modificado em 22/04/2014 22:53

Chã de AlecrimNa zona de Chã D´Alecrim registou-se um acidente de viação que resultou em dois feridos ligeiros e danos materiais. Uma mulher de 43 anos foi atropelada por uma mota numa passadeira. A vítima sofreu uma fractura no braço direito e algumas escoriações no corpo e foi transportada para o Hospital Baptista de Sousa. Depois de passar por um período de observação com estado de saúde estável, a cidadã recebeu alta médica.

 

O NN apurou que o caso ocorreu na segunda-feira, por volta das 21 horas, quando a mota seguia em direcção da zona de acesso à Matiota e o seu condutor atropelou uma mulher que atravessava uma passadeira. A cidadã que vinha do trabalho ficou prostrada no chão com ferimentos nos braços, no corpo e nas pernas. Por sua vez, o motociclista e a mota foram parar a poucos metros do local do atropelamento.

 

Segundo duas testemunhas oculares “o acidente aconteceu numa fracção de segundos, porque o motociclista vinha com velocidade excessiva. A sinistrada estava a meio da passadeira e foi colhida pela mota. Dadas as circunstâncias, a vítima do atropelamento ficou deitada no chão, com o corpo sobre o braço direito que sofreu uma fractura. Já o motociclista sofreu algumas escoriações por ter sido projectado para o chão”.

 

A cidadã atropelada foi socorrida por cidadãos que viajavam num carro de caixa aberta e levada para o Hospital Baptista de Sousa, visto que inspirava cuidados médicos. Quanto ao motociclista foi encaminhado pela PN ao HBS para receber tratamento médico. O NN apurou que o condutor do motociclo não estava sob o efeito de bebidas alcoólicas. Porém, nas próximas horas vai ser accionado pelas autoridades para prestar esclarecimentos sobre os factos que culminaram no atropelamento.

  1. Djoy

    Não sei o que aconteceu de concreto neste caso, mas lanço uma alerta as pessoas pela forma como entram nas passadeiras, muitos estão a caminhar paralelo com a estrada e do nada resolve atravessar sem reparar sem vem carro ou não. Há outros casos que as pessoas vêm que um carro está a aproximar-se e resolvem entrar na passadeira sem contar que virou moda as pessoas passearem no meio da estrada já não têm medo dos carros como antigamente. É preciso respeitar a própria vida.

  2. Carlos Fortes

    Podia nao estar sob influencia de álcool mas pior ainda que álcool sao as drogas que muitos usam em especial os condutores de motas que nao respeitam as regras de condução. Tambem pergunto. Ha um limite de velocidade nesta Cidade?

  3. MotoGang

    A culpa é geral, dos condutores porque as vezes exageram na velocidade e dos peões que, como acima referido, pensam que basta entrarem na passadeira ja estão protegidos. Os veículos são maquinas e estão sujeito a falhas, como os seres humanos também. Convém ter sempre atenção antes de pisar na passadeira, na maioria das vezes quem sai a perder é o peão por isso usemos do nosso direito na passadeira, mas com prudência e respeito porque a prudência não deixa marcas.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.