Ministro da Justiça: “é banal os jovens consumirem padjinha nas ruas”

29/06/2012 21:30 - Modificado em 30/06/2012 00:00

O Ministro da Justiça admitiu que o consumo da “Padjinha”, cannabis, é encarado nosso país como algo normal. Mas o ministro não se baseia em nenhum estudo, fala da observação que tem feito.

 

“Eu tenho reparado, com alguma tristeza, que já começa a ser quase que banal os jovens consumirem no meio da rua e de passarem o taco um para o outro. Há dois dias, vi isso numa das ruas da cidade da Praia, o que não pode nos deixar indiferente. A pergunta que se coloca é para onde têm ido os milhões de contos que o País tem investido na prevenção contra a toxicodependência, se o Ministro da Justiça vem dizer que “ é banal os jovens consumirem padjinha nas ruas”. E esta constatação vinda de quem veio não implicaria admitir o falhanço desses programas de prevenção? Ou pelo menos rever a estratégia seguida?

As declarações do Ministro foram proferidas, ontem, durante a apresentação do relatório mundial sobre as drogas, no Dia Internacional contra o Abuso de Drogas e Tráfico ilícito.

  1. realista

    Sinseramente Sr minístro não venha diser que onão tinha conhecimente disso e já agora tambem não sabi que existem thugs “bandidos” circulando na total liberdade pelas nossas ruas fazendo o que melhor sabem? Falta de respeito aos cidadãos.

  2. Observador Social

    O Ministro da Justiça deveria preocupar-se com a violencia juvenil, o alto consumo do “Grogue”, lancha voadora, mas a erva (padjinha não faz mal a ninguem), o consumo do alcool em Cabo Verde começa-se cada vez mais cedo e isso é grave. O sr. Ministro deveria preocupar-se com a nossa segurança, pois é tanta a violencia, o numero de mortos está a aumentar, será que o ministro é cego? A cocaina esta a alastrar-se pelo país. Nunca ninguem morreu por causa da padjinha e ponto final.

    • KM

      N’sta de acordo! Nu ten kuzas mas “pisadu” k preocupa ku el (exemplo cocaina ki sta ser cada vez mas frequente entre jovens) e otos exemplos k Obs. Social da k preocupa ku um “planta” ki na txeu países desenvolvido sa ta ser utilizado como medicamento e não só. Argumento kês ta usa ê ma keli ê coro di alguem ki ta fuma, ignorançia!!! Ami n’sta a favor de legalização e sobretudo controlu. Nhos devi usa dinheru pa kuzas mas produtivo em vez di sa ta “parçi” na Midia k assuntos menos importante!!

  3. rabelado

    what about consumo di cocaina na escritorios di ministros y governantes. preocupante tb.
    padjinha ka ta mata ninguen. min ta fuma na rua, sima cigarro ta fumado na rua.

  4. unknown

    é interessante como se fala da padjinha como se fosse o mal da nossa sociedade, quando existe um alto consumo de bebidas alcolicas, acto esse muitissimo mais banal que fumar padjinha. seria interessante ver quanto pessoas ja morreram pelo uso da padjinha e comparar com os muitos que ja morreram por causa das bebidas alcolicas no nosso pais.
    é importante saber diferenciar a padjinha dos outros tipos de drogas, é importante pesquisar, saber do que se fala quanto a esse assunto.

  5. José Manuel de Jesus

    BANDO DE CRETINOS !!! Começam com padrjinha e depois é cocaina e depois a matança para ter dinheiro de compras porque quem não pagar a dose é assassinado.
    Em muitos paises até o cigarro vem sendo perseguido, restringido, mas como são mais inteligentes fazem precisamente o contràrio. O dinheiro para comprar a droga seria melhor empregue na compra de alimentos numa terra de mal nutridos ou de gente que não come duas vezes por dia. BURROS !!!

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.