Acidente mortal na Rotunda de Chã de Cemitério: se o condutor está inocente quem são os culpados ?

27/06/2012 02:35 - Modificado em 27/06/2012 02:36

Mas se o condutor está inocente e a causa do acidente é uma falha técnica não deverão ser incriminados o dono da obra e por consequência a empresa que construiu a rotunda? Entretanto ninguém faz nada e a“ Rotunda da Morte “ continua lá: até que chegue a próxima vítima.

 

 

O acidente com um atrelado ocorrido na rotunda de Chã D´ Cemitério, em 2010, que resultou na morte de um homem fez crescer as contestações dos sãovicentinos em relação a essa via. Nessa altura os condutores apelidaram essa rotunda de uma ratoeira mortal devido aos perigos que apresenta para a condução. Mas a verdade é que a absolvição do motorista do atrelado veio provar que a rotunda de Chã D´ Cemitério é muito perigosa. Aliás a absolvição do arguido ficou a dever-se ao facto do juiz ter considerado que ficou provado que a causa do acidente teve a ver com as deficientes condições da Rotunda: uma inclinação que tende a flectir os veículos para o lado direito

Victor Carlos estava ao volante de um camião atrelado que transportava um contentor de 20 pés, mas que ao contornar a rotunda de Chã D´ Cemitério viu essa carga cair em cima de um homem  que estava no  passeio provocando-lhe a morte imediata. O motorista foi a julgamento acusado de um crime de homicídio negligente, mas o juiz absolve-o por haver provas de que a circular de Chã D´ Cemitério possuiu falhas técnicas, isto é uma inclinação que coloca em perigo a circulação de veículos.

 

A decisão do juiz

Com esta decisão o juiz deu razão a aqueles cidadãos que apelidaram a rotunda com uma ratoeira mortal. Visto que qualquer veículo está sujeito a ter um acidente naquela área, quando circula no sentido entre Av. Manuel Matos e John Miller. Para João Lopes “quando houve o acidente os responsáveis da obra tiraram o seu corpo de fora, porque se houve aquela situação, então a culpa era do condutor. Mas desde da construção daquela rotunda que os condutores manifestaram o seu desagrado em relação a uma inclinação gravosa do lado direito que dá acesso ao John Miller, mas nada foi feito para inverter a situação e um homem, chefe de família acabou por perder a vida ali”.

Perda de estabilidade

 

Já Alcir Mendes e Fredson Sousa afirmam que no dia do acidente estavam nas imediações da rotunda e que o motorista não circulava em excesso de velocidade. Para estes dois jovens “ a rotunda está mal feita e é realmente mortal, porque qualquer cidadão que circule num veículo ligeiro ou pesado quando faz essa curva a tendência é ter uma sensação de que essa viatura vai tombar para o lado direito. Por isso esse lado da rotunda precisa de uma correcção, de modo a evitar novas contrariedades. Porque há situações que a estabilidade do veículo na estrada depende da situação do piso que acaba por adulterar a manobra pretendida”.

 

Perigosa e mortal

Alcides Graça, advogado de Victor Carlos partilha da opinião dos condutores e acrescenta que “a rotunda possuiu uma inclinação de 0.3 a 0.5 negativos e é considerada perigosa. Inclusive na sentença o juiz referiu que o tombo não foi provocado por excesso de velocidade, porque senão o contentor iria embater nas casas que ficam nas imediações da rotunda. Por isso está claro que por ser área de risco, qualquer condutor que circule num atrelado com cargas deve tomar as devidas medidas de segurança para evitar acidentes dessa envergadura e uma atitude preventiva tem sido fazer o percurso na contramão com o apoio da Polícia Nacional. Quanto a requalificação sabemos que ela tem os seus custos para a CMSV, mas poder-se-ia rever a compactação dessa área com um nível de inclinação que elimine o perigo ”.

  1. D.C.

    Qualquer pessoa que tenha a mínima noção de física sabe que aquela obra foi MUITO MAL FEITA. Infelizmente para o provar ocorreu esse trágico acidente. Já la vão 2 anos e nada foi feito para corrigir esse erro. A CMSV, a entidade fiscalizadora e a Empresa que executou a obra DEVERÃO assumir as suas responsabilidades nesta matéria. Devem isso a família do malogrado. Não serão 200 contitos que irão sanar a ferida aberta no seio dessa família. Enquanto isso, a RATOREIRA DA MORTE continua lá.

  2. ao eduino

    so tu não sabes quem é o culpado.pudera não sabes quem fez a obra?

  3. Carlos Vieira

    acho que o comentário a cima perguntando ao Eduino Santos se ele sabe que é o dono da obra é injusto e não corresponde a realidade. Pois foi este jornal que levantou o problema dessa Rotunda ainda antes do acidente mortal. Foi este jornal que resposabilizou a Câmara Municipal de São Vicente e a empresa Armando cunha ; fe é este jornal que com este artigo não deixa o caso morrer exingindo que o dono da obra e quem ganhou dinheiro a contrui-la sejam resposabilizados.

  4. AB

    Como Engenheiro civil, chegando de ferias em SV deparei com a obra mal feita, o traçado de várias rotundas em SV estão mal concebidas. Demonstração e total respeito pela segurança de condutores e peões. São responsáveis os construtores… a rotunda no aeroporto tb estão mal concebidas.

  5. AB

    Como Engenheiro civil, chegando de ferias em SV, deparei com essa obra mal feita, o traçado de várias rotundas em SV estão mal concebidas. Demonstração e total desrespeito pela segurança de condutores e peões. São responsáveis os construtores… a rotunda no aeroporto tb não respeita as regras de segurança.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.