Verde Veste e ICCO retiram subsídios para compensar o pagamento do salário mínimo

1/04/2014 07:57 - Modificado em 1/04/2014 07:57

balanca dinheiroAs funcionárias da fábrica Verde Veste, queixam-se que desde a implementação do salário mínimo, a empresa retirou alguns subsídios para compensar a subida de vencimento imposta pelo salário mínimo. Na outra fábrica de confecções , ICCO , os donos também estão a cortar nos subsídios para compensar o aumento derivado do salário mínimo. Há casos em que houve diminuição dos salários .

 

Vendo os seus rendimentos a diminuir, as funcionárias mostram-se indignadas com a situação e ja recorreram aos sindicatos para tentarem que a legalidade seja reposta.

Mila Cilene diz “que até agora não vimos o salário aumentar para o salário mínimo. Recebia como salário base 8.500 escudos, mais um prémio de produção no valor de 2 mil escudos e ainda o prémio de assiduidade de 2 mil escudos. Agora, com o salário mínimo não vamos ter direito aos prémios e, de acordo com o nosso contrato, temos direito a receber 33% da produção e isso não acontece, o salário só diminuiu”.

 

Maria diz que “somos todos chefes de famílias, não faz sentido nenhum receber um determinado salário e depois receber um valor mais baixo. Temos despesas de renda de casa, filhos para alimentar e educar. Antes do fim do mês o salário é distribuído pelas despesas”.

NN sabe que na ICCO foi retirado o subsidio de alimentação de modo a compensar o aumento para os 11 mil escudos. Cely diz que ao ser retirado o subsidio de alimentação passou a ganhar menos 200 escudos e sentencia” não tivemos aumentos com a introdução do salário mínimo: o governo deu com uma mão os patrões tiraram com a outra.

 

As funcionárias afirmam que o caso foi encaminhado para os Sindicatos a fim de ser dada a devida atenção. Uma vez entregue as reclamações nas mãos das autoridades competentes, aguardam ansiosamente que o problema seja resolvido e que justiça seja feita.

 

  1. anonimo

    É mesmo verdade, o governo implementa uma lei e esses empregadores não cumprem. No caso da verde veste diminuíram o prémio de assiduidade que era uma percentagem dos salários, agora dizem que é um valor fixo. Esse tal prémio, que é uma roubalheira, se faltar cada minuto, mesmo justificando, é descontado. Por um dia perde metade e por dois dias perde 100%. Agora fizeram novos contratos. E sem falar da Sra. General que não respeite as pessoas. Até tropas ela tem.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.