Descida de Cabo Verde no ranking Fitch : JMN diz que leitura do MpD é simplista

26/03/2014 07:14 - Modificado em 26/03/2014 07:14

jmn5Cabo Verde desceu no “rating” da Fitch Ratings, de BB- para B. Segundo o relatório da agência de notação financeira divulgado na sexta-feira, a dívida pública cabo-verdiana poderá subir para 115% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2015 e atingir os 120% em 2017. E ainda no documento pode-se ler que a dívida está a crescer mais depressa do que o previsto. Argumento de crítica da oposição ao Governo.

 

O primeiro-ministro José Maria Neves faz uma leitura diferente do relatório da Fitch Ratings. Para Neves, se analisarmos apenas o stock da dívida, podemos tirar as conclusões que o MpD tem tirado que são simplistas e orientadas para o desgaste do Governo”.

 

O primeiro-ministro explica a sua visão do relatório: “Se considerarmos não só o stock das dívidas mas as receitas correntes e as receitas das exportações, veremos que a dívida cabo-verdiana, apesar de ser excepcional, está dentro dos perímetros da sustentabilidade”.

 

  1. antonio dos santos

    Alguém dentro do Paicv tem a obrigação Patriotica de dizer ao Primeiro Ministro, que deve inverter o discurso e aceitar a verdade de frente. Está o PM a levar-nos, como uma manada se tratasse, para um precipicio: fazemos finca pé mas ele com a sua maquina de propaganda vai convencendo os seus pares que a verdade está do lado dele. A FITCH uma Instituição Americana com credibilidade diz isso mesmo, mas acha que eles estão enganados…O que fazer?

  2. Django

    Face a gravidade da divida do país, ver um primeiro ministro a falar desta forma, só podemos concluir que ou não sabe o que está a dizer ou está a tentar esconder-nos alguma coisa.
    Reparemos então se eu ganho 10.000$00 mês ao chegar ao fim do mês tenho uma divida de 12.000$00 como é que vou sobreviver?
    É preciso sermos sérios sr primeiro ministro, basta de mentiras.

  3. joão fortes

    no futuro passaremos a ser um país produtor de dívida. Passaremos a exportar dívidas e quem sabe num futuro bem próximo a exportar os nossos incompetentes dirigentes.

  4. António

    Não acredito que este primeiro-ministro tem a coragem de, perante uma dívida tão elevado, aparecer na comunicação social sorridente para falar sobre o estado do endividamento do país. Quer isto dizer que ele está satisfeito com esse endividamento. O primeiro-ministro deve explicações aos cabo-verdianos sobre tal endividamento, pois muitas das obras de infra-estruturação do país foram verdadeiros elefantes brancos e poucas delas eram prioridades. Quanto tempo levaremos a pagar as dívidas?

  5. Di Praia

    Me faz lembrar o ex – ministro do interior do Iraque , Mahmud Diad al-Ahmad …
    Pior cego é aquele que não quer ver!

  6. Luis Geronimo

    O PM sempre tem uma boa desculpa. peço ao JMN para assumir os erros da governação.
    Enfim..quem paga é o povo..houve aumenta de taxas .. ataxa de combustivel por litro aumentou de 7$00 para 8$$00.. INPS quer aumentar as taxas na saúde.. e o salárioque é bomnao receb aumento .. Sinceramente… a corda arrebenta para olado mais fraco.. ou seja para o contribuinte.

  7. Silvério Marques

    Aqui há qualquer coisa que não bate certo. Se as receitas e as exportações têm aumentado quais as razões, porque: 1. Não tem havido aumento salarial na Administração pública ? 2. Cabo Verde anda a mendigar o APOIO ORÇAMENTAL ? Que rentabilidade terão as barragens num ano de seca ? Se o agro-negócio é tão rentável qual a razão porque os agricultores de Poilão não pagam a água ? Qual a rentabilidade da estrada asfaltada de Assomada a Matop Gêgê ? e a Rincão ? RESPONDA ?

  8. Sinto-me na obrigação de fazer um comentário: independentemente de o MPD ter tirado partido do nível da nossa dívida pública, enquanto o Primeiro-Ministro, José Maria Neves se defende ao mesmo tempo atacando-o demagogicamente falando de que está dentro dos perímetros da sustentabilidade, a verdade é que os políticos devem falar a verdade ao Povo. Nos bastidores da Politica, sabe-se que eu trouxe a Cabo Verde, modéstia à parte, a questão: Qual é o percentual do PIB que deve ser tomado consensualmente para se considerar a nossa dívida como sustentável, se e na medida em que se for superior a 60 por cento do PIB, ela não poderá estar dentro do perímetro da sustentabilidade, como alega o Primeiro-ministro JMN, apoiado pelo PAICV, parafraseando a Ministra das Finanças, Cristina Duarte. Não sei como os cabo-verdianos não castigam nas urnas o Governo que não cumprir metas orçamentais. Não obstante reconhecer-se que o Governo do PAICV herdou nível de dívida que tenha ultrapassado tal perímetro de sustentabilidade. É de reconhecer-se que o actual nível de vida é astronómico a ser paga pelas gerações futuras, em meio de política de austeridade. Cidadão

  9. adilson dias

    como se diz em bom português
    “ESTAMOS FRITOS”

  10. Maria

    Quem dá crédito a essas agências de notação que em finais de 2006 sobreavaliavam os bancos americanos e europeus que estavam todos no vermelho, transaccionando produtos tóxicos como os fundos de poupança e as hipotecas, dando origem à maior crise financeira deste século.
    Essas agências deviam ir dar uma volta ao bilhar grande pois o que querem é amarrar países soberanos às rédeas do FMI e BM.
    Não obrigada e podem ficar com as suas falsas avaliações. Essas agências têm uma visão muito economicista

  11. Emerson Pina barbosa

    God save cabo Verde
    Não há problema com a dívida!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Este governo está convencido que vão põr calote à dívida e que acabarão por perdoar a dívida deste país ‘desgraçado’ que não tem economia para morto cair. Isto para os investidors internacionais são ‘peanuts’ não conta, por isso ZeMa está a surfar contando com o ovo na polpa da galinha. Sempre disse que este homem era irresponsável e que estamos governados por irresponsáveis e o que está par vir não é melhor. God save cabo Verde

  12. Silvério Marques

    Sr. Pedro Rogério Delgado. A dívida que o MpD deixou era interna e provinha do congelamento do preço dos combustíveis e tinha como objectivo facilitar a vida aos empresários. Esta dívida é aos bancos. O PAICV pagou as dívidas do MpD aumentando o preço dos combustíveis, com as consequências conhecidas. Por outro lado, acabou com todos os incentivos á economia e ao investimento e beneficiou do IVA e subiu os impostos e congelação do valor das deduções no seio do mod.112. Assim, toda gente governa

  13. Silvério Marques

    Governar é fomentar a produção e criar riqueza, que depois é distribuida. Quando um país cresce toda a população sente no seu dia a dia ou no seu bolso.
    Senhora Maria
    Por mais defeitos que estas agências tenham a verdade é que eles é que informam os investidores, aí incluindo o FMI e o Banco Mundial. Ignorar as suas avaliações é cair num fosso, a médio e longo prazo. Acho que deviamos ouvir estas críticas e mudar de rumo.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.