São Vicente: quatro suicídios em 50 dias preocupam

14/03/2014 07:41 - Modificado em 14/03/2014 09:01

suicidio1Desde o início do ano, em São Vicente, já foram registados quatro suicídios. A psicóloga clínica Rosangela Varela alerta que o suicídio pode ser prevenido. Para ela, os problemas e o transtorno emocional, podem acabar numa tentativa de suicídio ou na concretização do suicídio.

 

O primeiro suicídio foi de um homem na zona de Salamansinha, Ribeirinha, que atou uma corda ao pescoço e amarrou-a a uma árvore, colocando termo à própria vida. Um condutor da padaria Francesa suicidou-se com golpes de faca no corpo e no pescoço, na localidade de Pedra Rolada. Na Ribeirinha, zona de Areia Branca, um homem acabou por falecer ao amarrar uma corda numa viga de uma porta, atando-a ao pescoço. O último caso foi em Chã D´Alecrim, onde um indivíduo se suicidou com uma arma de fogo.

 

Em entrevista à RCV, a psicóloga clínica Rosangela Varela afirma que o suicídio pode ser evitado através da prevenção, “temos de actuar mais na prevenção, porque o suicídio pode ser prevenido a tempo”. A psicóloga adianta ainda que “muitas pessoas avisam com palavras, com gestos, com comportamentos”. Para ela, muitas vezes a sociedade pensa que cão que ladra não morde, mas neste caso, Rosangela afirma “cão que ladra morde e a pessoa que está sempre a dizer que se vai suicidar um dia pode acabar por se suicidar”.

 

De acordo com as declarações de Rosangela Varela a rádio pública , a maioria das tentativas de suicídio não passa pelo banco de urgência, por isso, os pacientes não têm acompanhamento médico. “Uma grande parte das pessoas que fazem tentativa de suicídio não vão ao banco de urgência pelo que não são encaminhadas para o serviço de psicologia”.

 

Para a Psicóloga, os quatro casos de suicídio que aconteceram no Mindelo têm um denominador comum embora cada caso seja um caso: “o aumento de transtornos emocionais. Segundo a OMS, a depressão é uma doença que está cada vez mais evidente”. O outro denominador comum, “tem a ver com as estruturas sociais, familiares. As pessoas estão cada vez mais isoladas, sem um suporte familiar adequado. Muitas vezes com os próprios problemas, o transtorno emocional vai aumentando e pode culminar numa tentativa de suicídio ou na concretização do suicídio”, adianta Rosangela.

 

  1. Carlos Silva - Ralão

    Como disse e bem a Psicóloga, principalmente a desestruturação familiar e social, que tende a agravar cada ano que passa, infelizmente irá aumentar esta estatística.

  2. baldoque

    Ess caso de kel condutor de Padaria francesa devia ser explicod melhor. Porke e ke te afirmod ke ê suicídio? ke estudos foi feito pe dertemina isso? posição do corpo? faca sem impressão de ots pessoas? Isso tudo pode ser simulod. Agora um pessoa pe dá de faca ne corpo e ne pescoço pe pode matá cabeça………. um ka ê especialista ne matéria de psicologia ma te percem estronh isso.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.