Prescrição de receitas falsas: INPS apresentou queixa ao MP contra vários médicos

12/03/2014 07:50 - Modificado em 12/03/2014 07:50

medicosOutra coisa é passar trezentas receitas ou mais como os dados correctos de beneficiários que estão no sistema. Donde vêm esses dados? Quem os fornece e porque os fornece? E mais importante: se se trata apenas de ajudar carenciados a terem medicamentos , o que é crime , ou se existe proveito material ou financeiro da parte de quem passa as receitas.

 

 

O NN sabe que já deu entrada no Ministério Publico mais queixas contra médicos que emitiram receitas de medicamentos consideradas falsas. O INPS apresentou queixa contra vários médicos,só que todos os casos individuais foram juntos num único processo. Assim o MP não vai investigar uma rede que emite receitas falsas, mas sim médicos que individualmente passaram receitas que o controlo do INPS considera que são falsas.

O NN apurou que nesse lote de médicos cujas receitas foram consideradas ilegais existe, pelo menos, mais um que trabalha em São Vicente. Assim o caso do médico Carlos Além ,que tem a licença caçada por ordem do tribunal de São Vicente, não é o único. O seu caso foi despoletado em primeiro lugar, de acordo com os dados que tivemos acesso, porque ele surge como o médico que passou o maior número de receitas consideradas ilegais pelos serviços do INPS. E foi essa quantidade de receitas que levantou as suspeitas.

De acordo como a nossa investigação o MP não terá muitas dificuldades em provar que os médicos investigados passaram receitas em nome de beneficiários do INPS que não foram consultados. E neste sentido Carlos Além admitiu no Tribunal que passou receitas para pessoas carenciadas em nome de beneficiários que não foram consultados. Este online sabe que no processo único contra vários médicos existem casos iguais e até de beneficiários que estão fora de Cabo Verde. Mas a grande dúvida que o MP e a PJ terão de esclarecer diz respeito a forma como os médicos conseguiram os elementos de identificação de tantos beneficiários do INPS.

Uma coisa “ ê um médico passar uma vez outra uma receita em nome de um familiar que ê beneficiário da pessoa que foi consultada e não tem previdência social. Outra coisa ê passar trezentas receitas ou mais como os dados correctos de beneficiários que estão no sistema “. Donde vêm esses dados? Quem os fornece e porque os fornece? E esta linha de investigação se esclarecida e provada poderá fazer luz sobre estes casos de prescrição de receitas falsas de medicamentos. E mais importante: se se trata apenas de ajudar carenciados a terem medicamentos , o que é crime , ou se existe proveito material ou financeiro da parte de quem passa as receitas.

Este online apurou que o número de “receitas duvidosas “ aumentou muito nos últimos anos e que “ tinha de se fazer algo para travar essa situação, que arrastando-se poderia levar o sistema de previdência social a bancarrota”. Dados que tivemos acesso mostram que o montante anual que o INPS paga em comparticipações medicamentosas já ê superior ao que paga de pensão de velhice.

 

  1. Carlos Melicio

    O problema em cabo verde é que os ditos empresarios não estão nenhum pouco preocupado com a saude dos seus funcionarios e nem dos familiares destes. Trabalham para alem da conta, não fazem os descontes legais para benificiar da INPS e assim ter a tão falada direito a saúde. futuramente qdo chegar a velhice é o estado k vai tomar conta deles enqto os empresarios amealharam milhões. È o caso da SONASA, há pessoas k tem mais de 8anos sem seguros, mas as autoridades competentes fingem ñ saber.. pq

  2. Tafu

    PARA PODER HERDAR OS UTENTES E CONTINUAR A VIDA DE LUXO QUE TODOS ELES ANDAM.ONDE ESTÁ O DINHEIRO QUE DERAM A ELECTRA? ESSES TAMBÉM NÃO SÃO BURLÕES? SA………………NAS.

  3. MJS

    Cadeia para esses médicos fraudulentos, porquanto ao “encher os seus bolsos” e sem olhar as consequências, poderão num futuro muito próximo levar o nosso INPS à bancarrota! Esse é o único objectivo primordial dessa gentalha. Ademais nós os beneficiários do INPS estamos à espera de ver a médica cardiologista em serviço no Hospital da Praia e que assumiu publicamente que anda a passar receitas fraudulentas, também, a ser investigada pelo Ministério Público.Será que ela tem “costas largas” ?

  4. Maria José

    Nao é ajudar os carenciados a nao morrer, entenda-se prolongar a morte, que leva o INPS á bancarota mas sim os investimentos na electra que faz para ajudar José Maria Neves a Governar e o funcionamento do INPS como caixa 2 do Governo. Tenhamos vergonha naquilo que noticiamos, que dizemos, porque estamos aqui todos com olhos abertos.
    Bia Zé

  5. fernando fortes

    Cadeia para esses malandros que andam a burlar o INPS.

    Não importa se são médicos do PAI,do MPD ou da UCID,ou mesmo sem filiação.

    Malandros devem estar atrás das grades

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.