Forças Armadas querem eliminar os tabus da vida militar

12/03/2014 07:28 - Modificado em 12/03/2014 07:28

forças armadas3A vida militar é uma parte da vida social que muitas pessoas desconhecem. E está envolta, como admite o Comandante da Primeira Região Militar, o Tenente-coronel Amílcar Pires, em muitos tabus. A vida militar começa com o recrutamento e a preparação militar básica, a especialidade e tem o seu ponto alto no juramento da bandeira. E é a realidade da vida militar com o objectivo de desfazer todos os seus tabus que o Comando Regional pretende aliar aos órgãos de comunicação social para mostrar o que significa e como é o dia-a-dia de um militar.

 

Entre os tabus estão a questão da alimentação, dos treinos físicos e dos castigos. “Queremos quebrar estes tabus porque queremos fazer parte da sociedade e aproximarmo-nos mais do cidadão”, esclarece o comandante. O projecto, como explica, pretende “dar a conhecer à população em geral como é que efectivamente decorre todo o processo da instrução”.

 

Explica o Comandante Pires que há toda uma perspectiva de desenvolvimento institucional “assente na melhoria das condições de vida e de trabalho, das condições de operacionalidade e uma maior transparência na gestão diária”, o que perspectiva uma melhoria da organização militar em si.

 

Aumento no número de militares

Em conversa com o Comandante da Primeira Região Militar, o Tenente-coronel Amílcar Pires, explica que há dois anos a esta data as Forças Armadas contam com um “excedente” de jovens que querem prestar serviço militar. O que, como afirma, não acontecia nos anos anteriores em que os jovens evitavam o serviço militar.

 

Mas, para além do aumento do número de jovens refere ainda dos que já serviram e que se querem reintegrar nas forças armadas. “Eu recebo frequentemente jovens que já fizeram o serviço militar e que querem regressar”, revela o Comandante. Sem saber ainda os motivos por falta de inquérito, adianta que das razões que tem ouvido dos jovens, aponta como a principal a “falta de perspectivas fora do serviço militar”.

  1. Cândido Salomão

    Vida militar é vida de xulo ke ka tá trazé NADA pa 1 terra simá Cabo Verde, a não ser DESPESA!!!! Tropa pa ké ? pa combaté Cavala ma Oi Lorge?…

  2. caboverdiano

    o sr jorge gomes que e um desocupado e sem nocao vivce a custa dos outros por issso nao sbe nem se quer o que e um sevico militae por isso diz que e perda de tempo. cada jovem que alinha nas fileiras das fa saira de la com uma nocao diferete da vida, com uma experiencia adulta mais adequada para enfrentar o dia a dia, mas trudomnisso tambem depende da vontade de cada jovem…o sr em vez de encorajar aos jovens que de uma maneira ou de outra nao tem como ultrapassar as dificuldades , desencoraja

  3. adilson cid

    eu sinceramente eu acho que os jovens é deveriam escolher se querem ou não ingressar na vida militar, porque para muitos é uma perda de tempo.

  4. Ui

    Palhaçada. Há dois anos a esta parte…. Vai ver a história. Aliás, não precisa. Espere para ver a 1ª Incorporação se vais ter excedentes.

  5. Edson

    I servico militar em Cv, devia ser opcional, a muitos jovens k.ja.perderam oportunidades a nivel profissional como tb pessoal..

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.