Supremo da Guiné veta candidato do PAIGC às presidenciais

10/03/2014 08:40 - Modificado em 10/03/2014 08:40

guineO Supremo Tribunal da Guiné-Bissau invalidou a candidatura do representante do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) às eleições presidenciais de Abril, José Mário Vaz, por “envolvimento num caso de apropriação de fundos”.

 

Numa decisão a que a agência AFP teve acesso, o Supremo do país informou o PAIGC de que deverá apresentar um novo candidato até segunda-feira – as eleições estão marcadas para 13 de Abril e a campanha deverá arrancar a 22 de Março.

 

De acordo com a AFP, o Supremo Tribunal cita o “envolvimento num caso de apropriação de um montante de 12,5 milhões de dólares [mais de 9 milhões de euros] concedidos em 2012 por Angola à Guiné-Bissau sob a forma de doação”.

 

José Mário Vaz, escolhido no fim-de-semana passado para representar o PAIGC nas presidenciais, foi ministro das Finanças do governo de Carlos Gomes Júnior, derrubado há dois anos num golpe militar.

 

A decisão do Supremo Tribunal foi tomada na sequência de um pedido de apreciação feito pelo Ministério Público do país. O Supremo guineense está a apreciar a validade de 21 candidaturas às presidenciais de 13 de Abril, que deverão ser realizadas em simultâneo com as legislativas.

 

 

 

publico.pt

  1. alfredo gonçalves

    Vergonha mesmo! ao que o PAIGC chegou. Cabral deve estar a dar a volta no tumulo.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.