Polícia procura cúmplices do irmão de Zezinho Catana

3/03/2014 00:07 - Modificado em 2/03/2014 22:31

saco de dinheiroO NN apurou que o Departamento da Brigada de Investigação Criminal em Santo Antão prossegue as diligências para capturar dois jovens cúmplices do cidadão Manuel Fortes, irmão de Zezinho Catana que assaltou os proprietários do Residencial Ponta do Sol. O homem roubou 400 mil escudos aos cidadãos, mas foi burlado pelo casal que lhe tiraram 300 contos e que agora estão a monte.

 

Na semana passada, a Polícia Nacional realizou uma investigação criminal que culminou na detenção de um irmão de Zezinho Catana. Com perfis de actuação diferentes dado que Catana é conhecido pelos crimes de homicídio que cometeu em Cabo Verde, Manuel “Ney D´ Victor” tem ligação a assaltos contra pessoas e propriedades. O indivíduo chegou há cerca de seis meses à ilha de Santo Antão, proveniente da ilha do Fogo onde cumpriu pena por crime de roubo.

 

Roubo

Na sua terra natal, Manuel Fortes prosseguiu com os delitos e agora cumpre prisão preventiva na Cadeia Regional de Santo Antão. O indivíduo assaltou os proprietários do Residencial Ponta do Sol, situado na cidade de Ponta do Sol. “Ney D´ Victor” roubou-lhes 400 mil escudos e fugiu para a cidade da Ribeira Grande.

 

Burla

Segundo informações da Polícia Nacional “o suspeito passou a gastar o dinheiro e, num dos locais onde esteve, numa pensão, conheceu um casal de jovens. Juntos gastaram parte desse dinheiro e, depois, rumaram para a cidade do Porto Novo. Mas nessa cidade, o casal criou um esquema para burlar o autor do assalto. Quando consumaram o plano furtaram-lhe 300 mil escudos”.

Consumada a burla, o casal pôs-se em fuga e o caso chegou à alçada das autoridades policiais que iniciaram uma investigação para deter o autor do roubo e os seus cúmplices. Manuel Fortes foi detido e enviado para prisão preventiva. Por sua vez, “o casal de burlões deixou a ilha de Santo Antão para evitar a detenção”.

 

Investigação

Contactada pelo NotíciasdoNorte a BIC de Santo Antão não avança pormenores sobre a identificação do casal e sublinha que “o caso está sob segredo de justiça, de modo que não se podem avançar muitos pormenores sobre os suspeitos para não atrapalhar a investigação”.

A BIC assegura que o paradeiro dos procurados é incerto. Mas que se estão a realizar diligências com o apoio dos Comandos da PN nas outras ilhas. Isto é, que mantêm uma “apertada” vigilância nas zonas marítimas e no aeroporto, de modo que a caça ao casal produza os efeitos esperados, a detenção dos mesmos.

 

  1. Maria Fortes

    A pergunta é se “Ney” na verdade foi vitima de roubo ou se é um dos truques que tanto o Catana como ele usam para despistar a Policia. Contudo o ditado continua valido: – “Ladrão que rouba ladrão tem cem anos de perdão”.
    Para o jovem casal a bordo do avião da Transavia a caminho de Amesterdão uma boa viagem e que nao regressem tao depressa para Cabo Verde pois se Catana estiver em liberdade haverá carne em abundância no mercado.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.