parlamento: MpD quer levar governo ao tribunal na questão das obras públicas

26/02/2014 07:30 - Modificado em 26/02/2014 08:10

Bandeira_MpDA interpelação ao Governo sobre a gestão das infra-estruturas e obras públicas terminou com a bancada do MpD, através do deputado Jorge Santos, a anunciar que vai “interpor uma queixa-crime contra membros do Governo e outros decisores públicos sobre casos de gestão danosa, lesão ao Estado e corrupção de empreitadas nas obras públicas de 2001 até esta data”.

 

Durante a interpelação ficaram claras as acusações ao Governo por parte do MpD de gestão danosa em diversas obras públicas com ênfase para o anel rodoviário do Fogo. Para Santos, o quadro de gestão danosa e de corrupção, “violando escandalosamente o cumprimento da lei e a transparência que deve acompanhar a gestão das obras públicas”, “tem trazido enormes prejuízos económicos, sociais, financeiros e políticos ao país”. E nesta óptica, a bancada do MpD espera que “os responsáveis destes prejuízos devem ser responsabilizados”. E termina afirmando que “os relatórios têm de ir para o ministério público e para a polícia judiciária e não ficar nas gavetas”.

 

A UCID traz à tona o ditado popular de que “quem não deve, não teme”. Isto, segundo António Monteiro, que acredita que os níveis de acusação são graves, esclarece que “em Cabo Verde temos instituições preparadas para redimir estes conflitos e que se há acusações do tipo vai-se aos tribunais pedir à procuradoria que intervenha neste processo e ponha cobro a esta situação”.

 

Felisberto Vieira, líder da bancada do PAICV, afirma que o “Governo tem a fineza e a firme convicção da defesa dos interesses estratégicos do país em estreita combinação com a honestidade governativa, o patriotismo e a responsabilidade” e o que é feito é feito em prol de Cabo Verde. E para este líder parlamentar, as acusações do MpD são “distorções despropositadas, de ansiedades imponderadas, de desejos mensurados de ganhar a atenção dos cabo-verdianos”. E para Vieira, isto é feito acusando “de uma forma gratuita e vil e vitimando pessoas de modo infundamentado, instituições e as suas proeminentes figuras”.

 

Para a Ministra Sara Lopes “há tanta sede de poder que tendem a toda a hora desprezar qualquer informação para apostar no ruído”. Isto falando sobre as acusações do MpD.

  1. fernando fortes

    Lá está o MPD com falta de agenda politico.Quanto não tem mais nada para dizer vem com essa ladainha.Esperamos que o MPD apresenta a sua agenda politica e deixem desse discurso a Jorge Santos e Fernado Elisio.
    Assim o MPD não vai chegar onde pretende.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.