Os estivadores de ocasião

6/02/2014 00:00 - Modificado em 6/02/2014 00:03
| Comentários fechados em Os estivadores de ocasião

Porto GdeNão é verdade que a maioria dos jovens mindelenses está sentada” nas pontas a fumar drogas sem procurar trabalho.A maioria procura trabalho ” no nada” e batalham por um dia de trabalho. Essa batalha fez surgir trabalhos alternativos e renascer velhas profissões como a de estivadores .Mas estes são estivadores de ocasião.

 

A situação económica de São Vicente não é a das mais animadoras e, por isso, muitas pessoas procuram de várias formas conseguir o “ganha-pão”. Muitos têm sido os que têm procurado trabalhos alternativos para driblarem a crise. Um destes trabalhos, até com algum teor histórico no Mindelo, é o de estivador, isto é, carregadores que trabalham no cais para fazerem a carga e a descarga de cargueiros.

 

Tem-se verificado um aumento de jovens neste tipo de profissão, “na tentativa de conseguirem algo para fazer”. A falta de emprego é a principal causa que leva estes jovens a este tipo de trabalho. Os números estatísticos nacionais demonstram que o problema do desemprego é mais grave na camada juvenil.

 

Os jovens que chegam para serem estivadores encontram algumas dificuldades. Patrick Delgado comenta que com cerca de um ano de trabalho, ainda sente dificuldades porque muitos trabalhos vão para as pessoas que já estão há mais tempo. Entende-se que é um sistema criado onde os que acabam de chegar têm de se adaptar. A “piorar” as coisas é o elevado número de pessoas que vai para o cais à procura de um dia de trabalho.

 

Mas estes jovens mostram-se confiantes. Fredson diz que apesar das dificuldades, neste momento tem de tentar a sorte porque “o pior é ficar sentado à espera que algo caia do céu”.

 

O trabalho não é fácil e o dinheiro não é muito, dependendo do dia, mas há que tentar.

 

O perfil

 

São muitos os jovens que tentam conseguir algo e, normalmente, os jovens começam a ir para o cais a partir dos dezanove anos. Muitos não concluíram o ensino secundário. São originários de famílias carenciadas e, muitas vezes, é uma tentativa de ajudar nas despesas da casa. Entre estes, muitos já são pais que tentam o sustento das suas crianças.

 

 

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.