Ministra defende mais rigor da entidade patronal na identificação e tratamento dos trabalhadores dependentes de álcool

5/02/2014 07:16 - Modificado em 5/02/2014 07:16

alcool2O psiquiatra Aristides Delgado sublinhou que as empresas e as instituições têm a obrigação de serem rigorosas, no sentido de obrigarem os seus trabalhadores dependentes do álcool a fazerem tratamento. A ministra da Juventude, Emprego e Desenvolvimento dos Recursos Humanos, Janira Hopffer Almada, afirma estar de acordo, que deve haver mais rigor por parte da entidade patronal em identificar os casos de funcionários com dependência do álcool e encaminhá-los para um tratamento adequado.

 

Em declarações à RCV, a ministra sublinhou que a nível dos recursos humanos, o consumo excessivo do álcool tem o seu impacte.

 

Janira Hopffer Almada defendeu que a postura das empresas e instituições deve-se centrar na prevenção para evitar que um assunto de saúde, se transforme num problema disciplinar e laboral.

 

“Nesses casos pede-se uma actuação preventiva, é importante que detectado o problema, se actue em consonância, não só do ponto de vista repressivo, com procedimentos disciplinares, mas apoiando o trabalhador para que se submeta aos tratamentos necessários para ultrapassar essa situação. Porque é um problema e para que seja ultrapassado, a sociedade e as instâncias têm de ajudar e neste sentido o Governo vai trabalhar com um plano de acção para combater o uso excessivo do álcool “

  1. Carlos Ferreira

    Uma percentages bem grande da populacao masculina bem asim como tambem feminina na idade productiva tem uma maior ou menor dependência do álcool.
    Esta proposta é uma das mais copiadas lá fora e nao aplicáveis num país pobre como Cabo Verde onde inclusive os hospitais estao deficientemente apetrechados quanto mais clinicas especializadas nos tratamentos de alcoolicos que sao longos e caros.
    O que precisamos é uma mudança radical de mentalidade perante a aceitação do uso e abuso do álcool.

  2. fernando fortes

    Tudo bem Sra.Ministra.Deixa de conversa e começa a dar o exemplo com os trabalhadores do estado.A Sra. fala e não faz.
    A Sra. tem no estado de Cabo Verde um entidade patronal que não cumpre o código laboral,trabalhadores com vínculo precário durante anos e anos,nas alfandegas e finanças moqueros crónicos.Santa paciência.Por essas e outras é que mesmo não sendo o MPD alternativa crédivel,eles vão ganhar as próximas eleições.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.