“Chineses” despedem para não pagarem o salário mínimo

4/02/2014 00:07 - Modificado em 4/02/2014 00:09

loja chinesesVários mindelenses já começaram a sentir as consequências da implementação do salário mínimo nacional. O que era para ser uma boa nova, está a transformar-se num pesadelo. E nas lojas dos chineses, como se esperava, o pesadelo chegou sob a forma de desemprego.

 

Adlina Ferreira foi despedida, nesta segunda-feira, “o chinês disse-me que já não precisa do meu trabalho, por isso, poderia ir para casa”. Aldina ficou triste adivinhando o desespero que vai chegar sob a forma de desemprego, “já estava acostumada aos meus 8.000 escudos todos os meses, agora não sei como vou pagar as minhas despesas”. Aldina tentou manter o emprego dizendo ao chinês para continuar a pagar os oito mil escudos, mas o ex-patrão não aceitou argumentando que não queria ficar sujeito a pagar uma multa.

 

Pedro Lima, já estava à espera de ser despedido “já estava a desconfiar, porque nós homens trabalhamos menos que as mulheres, nos chineses”. E, por isso, os homens são os primeiros a serem despedidos. Adriano Cruz também foi mais “uma vítima do salário mínimo”.

Os proprietários das lojas chinesas alegam não terem dinheiro para pagar todos os funcionários e, por isso, têm de demitir alguns. CHIAN, diz que tinha cinco empregados, mas com a implementação do salário mínimo vai conseguir ficar apenas com dois.

Apesar de no Boletim Oficial emitido pela Assembleia Nacional, se ficar a saber que a iniciativa insere-se num “conjunto de políticas indispensáveis para a promoção do emprego e da competitividade” a realidade mostra que o dano colateral dessa medida é, por enquanto, o aumento do desemprego.

  1. É por isso que o capitulo 5 de micro e pequenas empresa penaliza os trabalhadores, o patronato pode despedir de qualquer jeito e sem uma compensação paga aos trabalhadores, tinha que haver sim uma lei que beneficiasse esses mesmos trabalhaores no caso de despedimento, sendo assim esses chineses vão mandar para casa os empregados quando quiserem, acho que com esta lei estão a proteger os chineses.

  2. CidadaoCV

    Ora aí está … E agora o que é que o estado e os sindicatos vão fazer por estes desempregados? Onde está a “política de promoção do emprego e da competitividade”? Já era de esperar esta reacção do patronato.

  3. salario minimo

    A lei do Salario minimo Nacional não tem efeitos retroativos, ou seja, o patrão não pode reduzir o salario daqueles que ganham + de 11.000$00 se o fizer esta violando a lei. O salario minimo é para ser aplicado para os trabalhadores que tem salario inferior a 11.000$00 e para aqueles que vão entrar no mercado de trabalho agora. Assim, aqueles que ganham + de 11.000$00 e for reduzido devem procurar os Sindicatos, Inspecção Trabalho denuciar. Vamos todos ajudar a reduzir pobreza e desiguladdade.

  4. salario minimo

    Não devemos alimentar a ideia que ia acontecer, estamos a contribuir para a violação da lei. A lei não é aplicada aos trabalhadores com salario superior 11.000$00.É para quem tem salario menos que 11.000$00. O patrão que reduzir esta violando a lei e deve ser denuciados no sindicato e inspeção do trabalho. Todos devem defender o salario minimo; é para reduzir a pobreza e desiguladade social. não devemos ser levados pelo sensacionalismo barato. abaixo exploração Mão Obra. Viva Salario Minimo.

  5. noticia

    O noticias do norte daria melhor contibuição aprofundando mais a questão. acho que foram muito superficiais não preocuparam em ouvir outros intervinientes na materia não dizem que a redução do salario dos trabalhadores que ja recebem salario superior a 11.000$00 é violar a lei. Devem preocupar tambem com o lado positivo da questão que tem havem com redução da desigualdade social e redução do fosso. devem ser menos sensacionalistas.

  6. maria jose

    bem vindo o salario minino mesmo assim ainda é pouco mas temos que ter em conta o nosso paísagora o governo devia prever as consequencias deses bandidos que meteu no nosso paia quem ganha 8000 durante tantos anos +e d
    em mais nada

  7. Mário Matos

    E o mais trágico de tudo isto é que daqui a pouco nem tao pouco os cursados nestas pseudo universidades vao conseguiram trabalho nas lojas dos chineses. E se conseguirem receberão 11.000,– escudos mensais enquanto pagaram mensalmente propinas à volta de 15.000 escudos. Negócios da China. Negócios das nossas pseudo-universidades.

  8. Jaime Silva Miramda

    Toda essa situação à volta do salário mínimo e o crescente aumento do desemprego daí derivado, a manifestação sobre a lei das pequenas e médias empresas e a greve geral pré-anunciada, prova, provadinha da silva, que os nossos sindicalistas não estão minimamente preparados para serem líderes ou estarão mal assessorados. Pois não compreendem, ou não raciocinam para descortinar quando as suas reivindicações e posições prejudicam gravemente Cabo Verde e os seus Trabalhadores. Haja juízo e seriedade.

  9. Paulo Ramos

    Essa estória de salário mínimo que tanto foi discutida e ainda os sindicatos queriam que fosse de 15000 escudos(!), vai fazer rolar muita tinta e rolar muitos desempregados, porque Cabo Verde não está preparado para ter um salário mínimo, um país pobre que não tem nenhum recurso natural para criar riqueza (PDM só no papel) e vive com a ajuda externa. Os sindicatos e os partidos deveriam pensar bem essa situação antes de aprová-la… O FMI só vê estatisticas, não sabe o que se passa no terreno.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.