Manifestação para enterrar os problemas que afectam Ribeira Grande

4/02/2014 00:03 - Modificado em 4/02/2014 00:01

Movimento Basta Ribeira GrandeO Movimento Basta, da Ribeira Grande, ilha de Santo Antão, organiza no próximo dia 8 de Fevereiro uma manifestação tendo como objectivo debruçar-se sobre os problemas e as soluções para o Município. Isto porque, segundo o grupo formado por cidadãos da Ribeira Grande, a situação da cidade e da própria ilha continua na mesma e é necessário que as pessoas reajam e mostrem o que é preciso fazer para mudar.

 

A marcha, como explica um dos membros do Movimento Basta, na Ribeira Grande será pacífica, com a aposta no lema “não à violência” e, ainda, será um espaço de reflexão. E pede para que todos saiam à rua e participem para que possa existir uma mobilização para se colocar um “basta” nos problemas que afectam a cidade da Ribeira Grande.

 

Basta

 

“Esta manifestação arranca na Ribeira Grande, mas queremos que todas as pessoas mostrem o sentimento que têm pela ilha de Santo Antão. Porque chegou a hora da população dizer um basta às promessas não cumpridas, à falta de oportunidades para o desenvolvimento, de alternativas para a juventude, às injustiças, à falta de visão e de ideias progressistas e a uma consequente incapacidade de liderança por parte do poder político”.

 

As cores da camisa, preta ou branca, prendem-se com a intenção da manifestação, ou seja, acabar com os problemas da ilha e do Município da Ribeira Grande. A concentração será feita às 10 horas no Polivalente David Fortes e a manifestação vai percorrer o centro da Cidade da Ribeira Grande, com as pessoas munidas de cartazes com palavras de ordem e de incentivo a uma mudança, com a apresentação de soluções.

 

Nova era

 

Este acto de enterrar e surgir com novas soluções, como retratam os organizadores, é a esperança para que Ribeira Grande e os outros Municípios de Santo Antão possam entrar numa nova fase.

 

“Vamos dar voz a Santo Antão que tem tido pouca reacção tanto por parte do Governo como do poder local e da oposição e vamos tentar fazer com que a voz do povo chegue à Assembleia Nacional. Rompamos com o silêncio, porque não estamos conformados com esta realidade que prejudica o desenvolvimento da nossa ilha. E a verdadeira força e essência do povo está na sua união”.

 

O grupo está a trabalhar na mobilização de pessoas através de flyers, Facebook e contactos nas ruas, entre outros meios de divulgação para que muitas pessoas possam aderir a esta manifestação. E o grupo explica a importância das pessoas estarem presentes para que se possa sentir a força do povo santoantoniense e a necessidade de uma mudança para o bem da ilha.

  1. Mario Matos

    Será que os primeiros indícios duma “Primavera Crioula” estao surgindo nestas ilhas adormecidas!
    Tambem uma “Primavera Árabe” era quase impensável e é hoje uma realidade com todas as suas consequencias em especial para as elites que estavam embaladas ao ritmo da sua imensa ganância e portanto indiferentes perante a realidade à sua volta!
    Tambem as elites caboverdianas continuam exibindo pornograficamente as suas riquezas enquanto uma massa considerável da população está passando por uma certa miséria.
    Que nao adormecem muito pois quando acordarem poderá ser tarde demais.
    Será tambem que as previsões da EIU, a seguir transcritas deixarão de ser utopia para passarem a ser pura realidade? E nao venham dizer depois “que nao vos avisei”

    “Risco de agitação social” no nosso país é o destaque do EIU para Cabo Verde em 2014, no seu primeiro relatório para este novo ano. Essencialmente devido à “incapacidade” do governo em desenvolver políticas que criem emprego e a recente ruptura com as centrais sindicais, que levou para as ruas milhares de pessoas no dia 20 de Janeiro, – Dia dos Heróis Nacionais -, e quando está prevista uma greve geral seguida de manifestação para finais de Abril e 1 de Maio”

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.