Passageiros descontentes com o desvio das linhas de autocarros

3/02/2014 06:49 - Modificado em 3/02/2014 06:49

transcor3Os utilizadores dos autocarros das linhas que passam pela Avenida Marginal para a zona de Chã de Alecrim, dizem-se descontentes com o longo caminho que são obrigados a fazer para chegarem ao destino, porque os autocarros têm de dar uma volta maior mesmo que não tenham passageiros, alimentando assim o desagrado no seio dos utentes.

 

É visível a indignação dos utentes dentro dos autocarros, quando se deparam com o desvio, surpresos com o longo caminho que têm de percorrer para chegarem ao trabalho ou ao local de destino. Indignados, perguntam para onde vão, com receio de terem apanhado a linha de autocarro errada.

 

Alguns confessam ter conhecimento da obra da Laginha e até reconhecem a sua importância, mas dizem que por esse motivo os patrões não irão perdoar o atraso de 15 ou 30 minutos ao trabalho. Por esta razão não podem, de nenhum modo, atrasar-se para chegarem ao destino desejado e ainda irritados, cansados e sem disposição.

Outros, de forma descontraída, dizem que agora são obrigados a estarem na paragem cada vez mais cedo para poderem passear quase a ilha inteira e ainda chegar a tempo ao local de trabalho ou destino.

As linhas dos autocarros 1, 9 e 10 com o desvio percorrem o seguinte caminho: ao chegarem à paragem situada na Praça Nhô Roque, os autocarros passam pela frente da Universidade do Mindelo e da Rua da Polícia Nacional, sobem pela Casa Comba, Escola do Quartel, Posto de Saúde de Chã de Alecrim, passando pelo Jardim Santo António, Caravela, subindo pela Escola Técnica, rua da Polícia Nacional e, mais uma vez, pelo Instituto Jean Piajet, passando pela Praça dos Namorados, Prédio da Rádio Nacional, Gare marítima, praia da Avenida Marginal.

 

  1. Djibla(1)

    Convinha referir que as outras estradas de penetração e circunvalação estão a precisar de cuidados. Refiro-me à estrada para o Calhau e à da Salamanca,Verde Baia das Gatas que de um lado e do outro do Pe de Verde esta cheia de sorradeira dando cabo das viaturas.
    Na estrada que liga Calhau Norte Baia, admira que ninguém responsável tenha participado aos dirigentes o estado de ferrugem dos sinais de transito e das protecções
    metálicas da estrada.Um dinheirao a perder-se e a pedir por mais…

  2. Djibla(1)

    De um lado e do outro do cruzamento do Pé de Verde ( subida e descida) o calcetamento está horrível
    Já foi reparado varias vezes, mas duas semanas depois da reparação, volta ao mesmo,
    e fica tudo cheio de surradeiras. Há que contratar gente competente, fiscalizar o trabalho e assim gastar dinheiro só uma vez. A ligação asfaltada Calhau a Norte Baia vai “comer” muita tinta e mão d’Obra a raspar a ferrugem que já está a furar o metal. Quanto mais cedo menos despesas.

  3. Baldoque

    Notícia do Norte. Há cada “notícia”, cada “pseudo reportagem”. Isto é notícia? Desde quando é que alguém não sabe de uma obra que está a decorrer há mais de 7 meses? Essa parte de as pessoas ficarem com receio de terem apanhado o autocarro errado é para colorir a coisa nem? Para preencher o espaço, Só pode.
    Outra coisa: O Patrão não tem de perdoar o atraso. Perdoaria se fosse no primeiro dia e não tinham o conhecimento. Nos dias subsquentes não há lugar a perdões. Levanta-se mais cedo. Mais nada.

  4. Mindelo.SV

    http://noticiasdonorte.publ.cv/20125/transcor-prejudicada-com-o-desvio/

    Sendo situações q incomodam os mindelenses e afectam a empresa de transporte,logo é uma notícia,porque revela um facto novo devido a obra que já é “assunto velho”.Em suma o foco é a consequência da realização da obra e não a obra.
    No que toca a questão do atraso no trabalho,da sensação de apanhar o autocarro errado são factos revelados pelos entrevistados e não obra de invenção do autor da notícia.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.